Cariri Sustentável

Vida em movimento e mobilidade urbana no Cariri

Alternativas sustentáveis, como a utilização de bicicletas no deslocamento urbano, são a chave para a construção de um cotidiano mais saudável e equilibrado para todos
Por Márcio Silvestre • 27 de dezembro de 2018

O crescimento da região do Cariri tem seu reflexo no trânsito e na mobilidade urbana. Somente em Juazeiro do Norte, a frota de veículos que em 2017 era de aproximadamente 90 mil, chegou a 119.042 em outubro de 2018, segundo dados do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran). Destes, 55.295 são motocicletas e 37.856 automóveis. Como forma de driblar esta situação, alternativas saudáveis, sustentáveis e econômicas para os seres humanos e o meio ambiente têm ganhado força no Cariri. Maneiras de se vivenciar mais a cidade, reduzir a emissão de poluentes e descobrir formas de inserção e interação durante a mobilidade.

Logo cedo, às 06h da manhã, a Estação Crato, do Metrô do Cariri, já está cheia de passageiros. O VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), em atividade desde 2009, oferece transporte ágil e seguro entre os municípios de Crato e Juazeiro do Norte, com 13,6 Km de extensão divididos em nove estações. A jornalista Renata Linard é uma usuária do metrô, todos os dias ela deixa o carro em casa para ir ao trabalho no VLT, fazendo o trajeto do Crato até a Estação Teatro, em Juazeiro do Norte.

Estação Juazeiro do Norte (Foto: Márcio Silvestre)

“Eu trabalho próximo ao Teatro Marquise Branca. Basta atravessar a rua que chego ao meu trabalho. Acho o metrô muito seguro, confortável e barato. É perfeito para mim. O metrô é bem limpo, costuma estar funcionando bem, exceto quando chove. A única crítica que tenho é em relação às paradas que são poucas e aos horários, que são muito espaçados. Mas é uma alternativa válida pela questão ambiental, financeira e por ter uma visão diferente do percurso, já que ele adentra em espaços que, comumente, não frequentamos”, comenta.

Vamos de Bike!

Outra opção de transporte que está em evidência é a utilização da bicicleta. O número crescente de ciclovias e ciclofaixas têm estimulado muitas pessoas a aderirem ao uso de um transporte alternativo no Cariri, valendo-se da bicicleta para ir ao trabalho, faculdade, supermercado e passeios. O Governo do Estado do Ceará implantou em 2017 três ciclovias na região: uma na Av. Leão Sampaio, que liga os municípios de Juazeiro do Norte e Barbalha, com extensão de 4,2 km; uma segunda na Av. Padre Cícero, que liga os municípios de Crato e Juazeiro do Norte, medindo 3,2 km; e a mais extensa delas, a ciclovia do Anel Viário, em Juazeiro do Norte, que mede 8 km.

Além de ser um meio de transporte ecologicamente correto, o uso da bicicleta promove a saúde e contribui com a mobilidade urbana, possibilitando ainda um maior contato com a cidade, como explica o Designer Mateus Quintans. “Não depender de carro é uma forma de observar mais por onde você anda. Garantir interação com as pessoas e as ruas, perceber mais as belezas, ou os próprios problemas da cidade. Isso o andar a pé e de bicicleta possibilita, prestar mais atenção a esses lugares”, observa Mateus, que utiliza a bicicleta para fazer compras no mercado todos os fins de semana, em um percurso de 2,2 km de sua casa, no Bairro Salesianos, até o mercado do Pirajá.

Na região do Cariri existem mais de 14 grupos de ciclismo. Pessoas que utilizam a bicicleta para praticar esporte, participar de competições e também como transporte. O estudante de Topografia da Universidade Regional do Cariri (URCA), Albersan Walker, é apaixonado por bicicleta desde a infância. Hoje ele faz parte de um grupo de ciclismo em Juazeiro do Norte, onde pratica a atividade no seu cotidiano. “Eu sempre gostei de bicicleta. Antigamente eu morava no interior de Viçosa e as pessoas não tinham muito acesso a veículos automotores, então a gente usava muita a bicicleta para ir à escola. Continuei adotando esse tipo de prática. Hoje a utilizo como transporte, é melhor para mim, pois me traz benefícios tanto para a saúde como para o bolso. Acabei comprando minha segunda bike só com o dinheiro que economizo das passagens”, afirma o estudante.

Ciclista Albersan Walker (Foto: Márcio Silvestre)

Carona Solidária

Você já ouviu falar em carona solidária? Ela é um movimento que incentiva o compartilhamento de veículos entre pessoas que vão para o mesmo destino, ou partilham do mesmo percurso. Dividir o espaço no carro para ir ao trabalho, eventos e faculdade pode ser vantajoso para o motorista, que economiza nas despesas do veículo, os passageiros que podem fazer seu percurso de maneira mais confortável e rápida do que indo de transporte coletivo e também para o trânsito que fica mais aliviado, com menos carros nas ruas.

A carona solidária já é praticada há algum tempo pelo Administrador Yalan Warner, que mora e trabalha em Juazeiro do Norte, mas cursa Direito em Crato. Para ele, antes de tudo a prática é uma forma de empatia e solidariedade. Muito além de compartilhar o veículo, a carona solidária proporciona uma viagem prazerosa ao lado de amigos. “Usar carro não é a melhor alternativa por ser um transporte poluente, mas eu necessito ter um veículo por causa da minha família. Daí eu tento otimizar o consumo do carro no dia a dia. Por exemplo, quando volto da faculdade sempre trago os amigos que também moram em Juazeiro do Norte e estudam no Crato. O carro geralmente volta lotado. É mais rápido pra eles, mais confortável, a conversa é boa e agradável. Ajuda na redução de veículos no trânsito. É um ganho para natureza e para as pessoas”, ressalta Yalan.

 

Márcio Silvestre

Formado pela Universidade Federal do Cariri (UFCA), com experiência em Assessoria de Imprensa e Produção Cultural. "A comunicação e a arte se cruzam no meu caminho. Descobri no jornalismo a oportunidade de contar histórias e compartilhar conhecimento".