Notícias

Usando os princípios da Permacultura, Instituto Aldeia da Luz constrói Escola de Sustentabilidade intitulada Pé d´Escola

Projeto possui incentivo financeiro da Lei Aldir Blanc
Por Edição Cariri • 12 de fevereiro de 2021

Por Joelton Barboza

O Pé d’Escola é um espaço educativo de pesquisa e projetos com ações curriculares voltadas para a realização de estudos teóricos e práticos sobre os ecossistemas, geração de soluções e bioempreendimentos conscientes e sustentáveis para Região do Cariri. É desenvolvido pelo instituto Aldeia da Luz na comunidade de Vila Nova, distrito de Monte Alverne, em Crato, localizada na Chapada do Araripe.

O projeto ecológico Pé d’Escola é desenvolvido pelo engenheiro e bioconstrutor Jasper Ferreira e possui incentivos financeiros do Prêmio Fomento Cultura e Arte do Ceará da Lei Aldir Blanc 2020, executada pela Secretaria de Cultura do Estado (SECULT Ceará). A responsável pelo projeto, Professora Fanka Santos, do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Cariri (UFCA) , foi uma das agraciadas por esta lei na Categoria V Trajetórias Artísticas e Culturais, recebendo um premio em espécie do qual ela destinou para construção dessa escola.

Cisterna de ferro e cimento. Arquivo pessoal Prof. Fanka

Sob as bases da permacultura, o projeto realiza bioconstrução através da recuperação de uma antiga casa de taipa, com reuso de águas acomodadas em cisternas de ferro cimento, além de fossas ecológicas, bioáguas e banheiros secos. As fossas são construídas com pneus velhos de carro que já não são mais utilizados e que possivelmente seriam descartados de forma irregular no meio ambiente. Já as cisternas de Ferrocimento, com capacidade para 20 mil litros, têm o objetivo de coletar a água advinda das chuvas.

Fossa ecológica. Arquivo pessoal Prof. Fanka

No projeto há a fomentação de oficinas e cursos, voltados para a capacitação de famílias da zona rural caririense, com o objetivo de disseminar conhecimentos e práticas de regeneração da caatinga, através de tecnologias sociais como a permacultura e a agricultura sintrópica, dentre outras fontes científicas, religando-as às experiências advindas dos conhecimentos nativos.

Casa de taipa recuperada. Arquivo pessoal Prof. Fanka

O conhecimento científico é integrado aos saberes e epistemologias nativas, que permitem ressignificar ideias como as do Padre Cícero, que propunha transformar cada casa em uma oficina de trabalho e oração; as práticas de autossuficiência da comunidade do Caldeirão, lideradas pelo beato José Lourenço; os saberes caboclos e indígenas dos Cariris, que herdaram conhecimentos tradicionais a respeito do solo e das florestas, de cura e de artes diversas, entre outros.

Principais objetivos do projeto

Tendo em vista à sustentabilidade econômica e, principalmente, ecológica da região do Cariri cearense, o pé d’Escola tem como objetivos capacitar jovens e adultos como lideranças sustentáveis; recuperar a caatinga através de agroflorestas, gerar emprego e renda; propiciar a criação, produção e consumo de mercados locais; promover segurança alimentar e saúde comunitária, com ações conscientes para um novo estilo de cultura humana.

Cisterna finalizada. Arquivo pessoal Prof. Fanka

Fanka destaca que desde muito cedo participa de movimentos sociais pelos quais o tema da ecologia sempre perpassou o debate. “Foi somente com a construção da minha casa, que veio a se transformar posteriormente em um espaço educativo, terapêutico e filosófico sobre permacultura e regeneração da terra, chamado, Aldeia da Luz, que passei a me concentrar mais nessa área do meio ambiente. A Aldeia da Luz foi bioconstruida na técnica de superadobe”, disse.

Professora Fanka Santos – Google fotos

Na Universidade e na Aldeia da Luz, que atualmente funciona como campo de estágio da UFCA através de convênio, já foram desenvolvidas através da professora Fanka várias ações impactantes envolvendo a sustentabilidade, como por exemplo o Laboratório de Troca de AFetos (LATA), um programa amplo de ações para sustentabilidade e diálogo com o território, que vem desenvolvendo diversas ações, dentre elas, o mapeamento e a escuta ativa dos mestres da cultura, a criação de projetos de extensão, como o Teia de Informação, Conhecimentos e Tecnologias em Permacultura, que promoveu oficinas de fossas ecológicas, palestras e seminários e, principalmente, a criação da especialização latu sensu em permacultura em 2016, onde a mesma foi coordenadora.

Saiba mais sobre o Instituto Aldeia da luz

O Instituto Aldeia da Luz representa uma comunidade bioempreendedora de pesquisa, projetos e programas em educação, permacultura, saúde e espiritualidade, que atua como instituto desde 2010 na região do cariri, promovendo o bioempreendedorismo para geração de mercados locais e limpos; ações antiespecistas, antirracistas e antimisóginas; as culturas ancestrais indígenas e negras; a disseminação do veganismo, da biopermacultura e de agroflorestas, como ações conscientes para um novo estilo de cultura humana. O propósito é a prática contínua de ações educativas, orientadas por uma visão científica não antropocêntrica, multidimensional, dialógica e sistêmica; como também, baseadas nos saberes sociais e culturais dos habitantes dos territórios locais.

CATEGORIA:

Edição Cariri