Arte e Cultura

Projeto Células Motivadoras de Santana do Cariri é premiado no Desafio Criativos da Escola 2019

Por Márcio Silvestre • 4 de setembro de 2019

O Ceará está entre os sete estados premiados no Desafio Criativos da Escola 2019, com o projeto Células Motivadoras, que busca reduzir o índice de abandono escolar. A iniciativa vem da Escola de Ensino Médio Adrião do Vale Nuvens, localizada em Santana do Cariri. Esta é a 5ª edição do Desafio, promovido pelo Instituto Alana, com a participação de 1.443 trabalhos inscritos de todo o Brasil.

Os demais estados agraciados são Amazonas, Bahia, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul. No Ceará, o projeto Células Motivadoras tem como principal objetivo diagnosticar os alunos mais faltosos com auxílio dos colegas, professores e dos dados do sistema da Secretaria da Educação (Seduc), e a partir disso, intervir na situação do estudante para motivá-lo e evitar o abandono escolar.

As estudantes Joana, Maria Alicy e Liliane são coordenadoras do projeto Células Motivadoras. Foto: Divulgação.

As estudantes Liliane Silva, Maria Alicy e Joana Nuvens, da 2ª série do Ensino Médio, constataram que a questão do abandono, apresentada pelas redes de ensino do Brasil, também existia na escola onde estudavam. De acordo com a aluna Maria Alicy, em 2017, 79 estudantes desistiram dos estudos. “Existem diversos fatores que contribuem para que os alunos se desmotivem e acabem por abandonar a escola”, considera.

A partir da situação encontrada, as alunas fizeram estudos e pesquisas sobre o tema para entender o que acontecia entre os jovens que deixavam de estudar. Chegaram à conclusão de que a vulnerabilidade social, entre outros aspectos, contribuía para essa saída da escola. Diante da descoberta, mobilizaram os demais estudantes, organizaram visitas dos professores e gestores às casas de seus colegas, promoveram rodas de conversas e palestras para os que faltavam às aulas. O projeto contou com a orientação do professor Moaci Caitano Freires Júnior.

Mensagens de apoio

Conforme a aluna Joana Nuvens, as cartas quentes, que fazem parte do projeto Jovem de Futuro, também são utilizadas pelas escolas. “São mensagens de motivação para os alunos que começaram a faltar e podem ser possíveis desistentes e para aqueles que já faltaram por um bom período. Para esses alunos, também há a visitação animada do núcleo gestor”, aponta.

Um aplicativo foi criado pelos 20 estudantes que aderiram ao projeto. A ferramenta visa contribuir para aproximar os alunos e, conforme o professor Moaci, reúne contatos dos membros das células motivadoras, caso algum jovem queira conversar ou precise de auxílio. Mostra ainda mensagens motivadoras e um espaço para sugestões. “O ambiente também traz imagens e intervenções já feitas pelo projeto, propicia acesso ao aluno On Line (plataforma da Seduc) e a uma aba com os valores cultivados nos diálogos sócioemocionais. Logo estaremos lançando, nesse mesmo aplicativo, um guia de profissões para auxiliar na escolha futura e na construção de um projeto de vida”, explica.

Célula Motivadora

Como resultado do trabalho, cada turma da escola passou a ter uma Célula Motivadora, grupo de apoio feito de jovem para jovem no intuito de incentivar que todos continuem frequentando as aulas. “Com esse movimento, o número de alunos que deixou a escola saiu de 79 para 59, em 2018, e caiu para quatro, no último mês de agosto. Outros nove estudantes saíram da escola, devido mudanças dos familiares para outras localidades, por diversas motivações”, destaca Maria Alicy.

A questão da vulnerabilidade está entre os temas trabalhados pelas células a partir do estudo de um livro feito pelos estudantes do projeto. A ideia, segundo Liliane Silva, enviar “é mostrar durante as rodas de conversas que isso não é uma fraqueza e sim uma característica de quem tem a coragem de mostrar para todos os seus objetivos e lutar para realizá-los”, reforça.

Em rodas de conversas, os alunos debatem seus problemas e dificuldades. Foto: Divulgação.

O grupo está em contato com duas escolas municipais de Santana do Cariri para transferir a experiência. Para Liliane, a expectativa é de que o projeto não fique restrito às escolas locais, mas se expanda para a região do Cariri, e se possível, até nacionalmente. “Queremos que sirva de exemplo para os atuais alunos da escola. Queremos passar a real importância do estudo para a vida deles. O conhecimento, todos sabemos, é algo que ninguém pode nos tirar”, conclui.

Reconhecimento

Na edição de 2019, o prêmio será uma viagem internacional a Roma, na Itália, no final de novembro. Os premiados irão participar de uma imersão com mais de 2 mil crianças e jovens de países integrantes do movimento Design for Change – do qual o Criativos da Escola faz parte. Além dos estudantes, a Conferência Global “Eu Posso” contará com a presença do Papa Francisco, de artistas e outras lideranças mundiais.

Para os premiados cearenses, será um momento único compartilhar a experiência, os resultados e vivências exemplares da Escola Estadual Adrião do Vale Nuvens. “Também representa a oportunidade de diagnosticar se em outros países do mundo há questões idênticas a de nossa escola, e o principal, conhecer novas ideias para difundir e por em prática”, destaca o professor.

Desafio Criativos

O Criativos da Escola encoraja crianças e jovens a transformarem suas realidades, reconhecendo-os como protagonistas de suas próprias histórias de mudança. A iniciativa integra o Design for Change, movimento global que surgiu na Índia e está presente em 65 países, inspirando mais de 2,2 milhões de crianças e jovens ao redor do mundo.

CATEGORIA:

Márcio Silvestre

Márcio Silvestre

Formado pela Universidade Federal do Cariri (UFCA), com experiência em Assessoria de Imprensa e Produção Cultural. "A comunicação e a arte se cruzam no meu caminho. Descobri no jornalismo a oportunidade de contar histórias e compartilhar conhecimento".