Arte e Cultura

“Palavra, território e utopia” é tema de Encontro de Poesia no Crato

Por Márcio Silvestre • 11 de fevereiro de 2020

A poesia já é uma companheira conhecida na comunidade do Gesso, em Crato. A arte de rima, verso e emoção vem sendo trabalhada desde 2013, com Roda de Poesia, depois veio os poemas nos postes de iluminação pública e o lançamento de livros. O trabalho persiste, atraindo poetas de vários estados brasileiros, que visitam a comunidade para conhecer a experiência de democratização das leituras e literaturas desenvolvida pelo Coletivo Camaradas.

Esse ano, será realizada a III edição do Encontro da Poesia no Gesso, entre os dias 19 a 21 de março. Com o tema “Palavra, território e utopia”, o encontro tem o objetivo de democratizar e potencializar a poesia, criando processos de ocupação do espaço urbano e virtual. Estabelecendo trocas, a partir de formações, fruições estéticas, artísticas e literárias. A ideia é contribuir para uma cultura de base comunitária e leitora.

Programação

O Encontro é composto de oficinas, slam, sarau, intervenção urbana, cortejo,  apresentações artísticas, feiras, distribuição de poesias. As atividades acontecerão no Terreiro do Coletivo Camaradas e nas escolas e organizações que compõe o Território Criativo do Gesso.

A ação será realizada em parceria com as instituições púbicas e movimentos sociais, além de artistas, poetas e grupos que atuam no campo da arte, do ativismo e da literatura.

Esse ano a edição homenageará a poeta, historiadora e professora Nezite Alencar, integrante da Academia dos Cordelistas do Crato e que tem mais 40 folhetos publicados. Nezite é também pesquisadora do cangaço e membro da Sociedade Brasileira de Estudos do Cangaço- SBEC e pesquisa sobre a ditadura militar no país.

Sobre a Homenageada

Nezite Alencar nasceu no sítio Olho D’água dos Glauteres, Quixariu-Campos Sales-CE, mas atualmente reside no Crato. Trabalhou na Educação durante 40 anos como Professora do Ensino Fundamental e como Coordenadora Pedagógica. Fundou o Centro Educacional Enéas Arrais, escola Comunitária onde foi voluntária por mais de dez anos.

Graduada em História pela Universidade Regional do Cariri (URCA) e Pós-graduada em História do Brasil. Pesquisadora do Cangaço e membro da Sociedade Brasileira de Estudos do Cangaço- SBEC. Escreve poesia desde a adolescência e tem vários paradidáticos publicados. É membro da Academia dos Cordelistas do Crato, com mais de 40 folhetos publicados.

* Com Ascom.

CATEGORIA:

Márcio Silvestre

Márcio Silvestre

Formado pela Universidade Federal do Cariri (UFCA), com experiência em Assessoria de Imprensa e Produção Cultural. "A comunicação e a arte se cruzam no meu caminho. Descobri no jornalismo a oportunidade de contar histórias e compartilhar conhecimento".