Arte e Cultura

Mostra de Arte Cênica oferece programação diversa e gratuita

Por Márcio Silvestre • 11 de março de 2019

Durante os dias 12 e 16 de março o Cariri recebe diversas produções artísticas de diferentes estados do país, que participarão da Mostra Banco do Nordeste de Artes Cênicas. O evento é gratuito com o objetivo de fortalecer a formação de plateias, abrindo espaço para a diversidade de produções nacionais.

Nas palavras do Artista, Pesquisador e Mestre em Artes Cênicas pela USP, Eduardo Bruno, esta edição da Mostra tem um teor educacional, político e poético ao selecionar espetáculos que dialogam com questões contemporâneas de resistência e reflexão. “A Mostra incita o público a atingir processos de subjetivação escorregadios que façam passar redes de afetos com ações diretas (mesmo que indeterminadas) no campo social. Os artifícios emancipatórios trilhados por cada espectador que vivenciar uma ou mais das propostas cênicas, certamente, produzirão efeitos diferentes. Contudo, aceitar o questionar-se e ser questionado pelas experiências estéticas é talvez a forma de conseguimos caminhar juntos para uma diferente ética social”, destaca.

Programação gratuita e acessível

A Produtora Cultural do BNB, mônica Batista, reforça que toda a programação é gratuita e acessível ao público. Os ingressos para os espetáculos podem ser retirados na recepção do Centro Cultural Banco do Nordeste a partir das 13h do dia da apresentação. “É importante que a comunidade participe e ocupe esse lugar. A arte é um instrumento de reflexão e aprendizado para formação do ser humano e o Cariri está tendo a oportunidade de ter acesso a uma vasta programação gratuita, com espetáculos de diversos lugares do país”, afirma Mônica.

A programação completa pode ser consultado na página do Centro Cultural Banco do Nordeste Cariri: facebook/ccbnbcariri ou ainda no site www.bnb.gov.br/centro-cultural-cariri

Confira a Programação:

Dia 12/03

Espetáculo “Final da Tarde”, Teatro de Caretas, Fortaleza/CE: Uma experiência diferente de teatro de rua, tanto na relação entre ator e público, como na relação com a cidade. Esta é, além de cenário, a própria dramaturgia do espetáculo. Atuação cênica baseada no detalhe da interpretação onde proximidade e intimidade entre transeuntes e atores são os elementos centrais.
Horário: 17h
Local: Teatro do CCBNB-Cariri, Juazeiro do Norte-CE

Espetáculo “III Toada para João e Maria”, Núcleo Toada, São Paulo/SP: João e Maria nessa Terceira Toada tentam lidar com o tempo que não para de passar. As crises da meia idade, as perdas, as mudanças do mudo, as alegrias e os medos que surgem com o passar dos dias. O espetáculo é uma celebração à vida, construída junto com a plateia. Tudo ao som de Chico Buarque.

Horário: 19h
Local: Teatro do CCBNB-Cariri, Juazeiro do Norte-CE

 

Dia 13/03

Espetáculo “Devorando Heróis – A tragédia Segundo Os Pícaros”, Coletivo Pícaros Incorrigíveis, Fortaleza/CE: Os Pícaros Incorrigíveis trazem nesse espetáculo as trágicas histórias de dois heróis da Grécia Antiga, Prometeu e Ájax. O grupo parte de uma leitura da clássica dramaturgia grega para chegar ao pícaro contemporâneo, um carnavalesco sopro de contestação ao cinza concreto da metrópole com seus corpos enrijecidos pela engrenagem do sistema. Um turbilhão de cores, corpos, imagens, ritmos, músicas, rasgam o espaço urbano para compor a picardia.

Horário: 19h30
Local: Teatro do CCBNB-Cariri, Juazeiro do Norte-CE

 

Dia 14/03

Espetáculo “No’tro Corpo”, João Paulo de Oliveira Lima, Fortaleza/CE: NO’TRO CORPO é um ensaio sobre as possibilidades do corpo. O que nos constitui sujeitos de nós mesmos e de nossos movimentos? As cenas se combinam num entrelaçar das questões que o artista lança a partir de si e dispara como enfrentamento ao público. Que corpo temos? Que corpo nos exigem ter? Uma dança que deseja reagir, resistir e empoderar. Com direção de Alda Pessoa, interpretação de João Paulo Lima, luz de Marcos Alexandre, música original de Márcio Motor, figurino de Lídia dos Anjos.

Horário: 19h30
Local: Teatro do CCBNB-Cariri, Juazeiro do Norte-CE

 

Dia 15/03

Espetáculo “Isto não é um manifesto” – EmFoco Grupo de Teatro:Isto não é um manifesto! Isto é um exercício contra-letárgico aos episódios político-sociais contemporâneos. Mesmo tomados pelo desespero, devemos nos lembrar de que, ao longo da história, acontecimentos imprevisíveis emergem e voltam a embaralhar completamente os poderes e as possibilidades. Crise, motim, insurreição, destituição, devir-revolucionário. Ação!

Horário: 19h30
Local: Teatro do CCBNB-Cariri, Juazeiro do Norte-CE

 

Dia 16/03

Espetáculo “Helena vadia”, Grupo Matuta Teatro, Campinas/SP: Trata-se da exploração cênica do mito de Helena, a mulher erótica e sexualmente ativa. Em meu corpo de atriz são experimentados marcadores de feminilidade e de masculinidade, que expõem a personagem à dualidade. Tão ambígua quanto Helena, a cena teatral é considerada um campo fértil para tratar sobre a flexibilização e violência de gênero. Utilizando da performatividade, o espetáculo passa pelos dispositivos Drag (Queen, King e Faux) e por simbologias que experimentam outras obras de arte e corpos intérpretes para sintetizar o que por fim soou relevante no mito de Helena. A partir de imagens poéticas, questiona-se sobre um caminho para a aceitação das diversidades e a busca pela cultura da paz.

Horário: 18h
Local: Teatro do CCBNB-Cariri, Juazeiro do Norte-CE

 

Espetáculo “Outubros, Grupo de Teatro Osfordidário: Inspirado no Diário de Maria de Lourdes Gonçalves, que ela começou a escrever grávida após a morte de Assis, seu amor e pai de seus filhos. Dona Lurdinha morreu em 2017, e em luto de sua mãe, a atriz Dudha Moreira vive no palco sob a direção João Paulo Soares, a narrativa do amor de seus pais. Ultrapassando as barreiras da dor de não ter mais seu amor.

Horário: 19h30
Local: Teatro do CCBNB-Cariri, Juazeiro do Norte-CE

 

 

 

CATEGORIA:

Márcio Silvestre

Márcio Silvestre

Formado pela Universidade Federal do Cariri (UFCA), com experiência em Assessoria de Imprensa e Produção Cultural. "A comunicação e a arte se cruzam no meu caminho. Descobri no jornalismo a oportunidade de contar histórias e compartilhar conhecimento".