Cariri Sustentável

Juazeiro do Norte: Parque das Timbaúbas se torna Unidade de Conservação reconhecida nacionalmente

A medida fortalece a preservação da fauna, flora, recursos hídricos, solo, paisagens e processos ecológicos pertinentes aos ecossistemas naturais.
Por Márcio Silvestre • 16 de novembro de 2018

A Unidade de Conservação Parque Natural Municipal das Timbaúbas, criada por meio do decreto 358, de 23 de outubro de 2017, foi inserida e validada com sucesso no cadastro nacional de Unidades de Conservação do Ministério do Meio Ambiente. Essa inserção traz contribuições determinantes para a manutenção do patrimônio natural brasileiro.

A inserção na categoria de Sistema Nacional de Unidade de Conservação (SNUC), área de proteção integral, é uma política pública fundamental para a preservação do bioma do Parque das Timbaúbas, pois as Unidades de Conservação são áreas especialmente criadas e protegidas pelas três esferas governamentais (Federal, Estadual e Municipal), com a função de garantir a proteção da fauna, flora, recursos hídricos, solo, paisagens e processos ecológicos pertinentes aos ecossistemas naturais.

Foto: Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte

De acordo com o Superintendente da Autarquia de Meio Ambiente de Juazeiro do Norte (AMAJU), Sidney Kal-Rais, a inclusão do Parque das Timbaúbas no Snuc, foi uma articulação da Gestão Municipal do Prefeito Arnon Bezerra, junto as Secretarias de Meio Ambiente do Município (SEMASP) e do Estado (SEMA). “Foram quase dois anos de luta para a conquista desse reconhecimento”, ressalta o Superintendente.

Foto: Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal de Juazeiro do Norte

Considerando as Reservas Particulares do Patrimônio Natural, a sociedade poderá acompanhar os resultados das ações governamentais de proteção do patrimônio biológico nacional. Segundo técnicos da SEMA, o Parque se enquadra na categoria de Área de Proteção Integral (API), que busca a manutenção dos ecossistemas livres de alterações causadas por interferência humana, sendo admitido apenas o uso indireto dos seus atributos naturais de forma contemplativa ou voltada à pesquisa científica.

 

Márcio Silvestre

Márcio Silvestre

Formado pela Universidade Federal do Cariri (UFCA), com experiência em Assessoria de Imprensa e Produção Cultural. "A comunicação e a arte se cruzam no meu caminho. Descobri no jornalismo a oportunidade de contar histórias e compartilhar conhecimento".