Artigos

Feminino e Plural: Lady Gaga faz história com a já aguardada vitória de “Shallow” no Oscar 2019

Após três indicações ao prêmio, sendo uma por “Melhor Atriz”, cantora vence por “Melhor Canção Original” com o tema do filme “Nasce uma Estrela”, que recebeu um total de nove indicações
Por Bruna Vieira • 13 de março de 2019

(Ilustração feita em homenagem ao Oscar conquistado por Lady Gaga em 2019. Arte: Marciano Palácio)

 

Por Marciano Palácio

 

Talvez você não conheça o nome Stefani Germanotta, mas com certeza já ouviu falar sobre essa mulher, que ficou mundialmente conhecida como Lady Gaga. Ela estreou no cenário da música Pop em 2008, após o lançamento do hit “Just Dance” e o incrivelmente bem sucedido álbum “The Fame”. Agora, em 2019, após pouco mais de uma década de carreira, essa nova-iorquina de 32 anos conquistou Hollywood e acabou de ganhar o seu primeiro Oscar de Melhor Canção Original por “Shallow”, tema da quarta versão do filme “Nasce uma Estrela” (clássico já estrelado anteriormente por nomes de peso como Janet Gaynor, Judy Garland e Barbra Streisand), que ela protagoniza ao lado de Bradley Cooper. Com esse feito, Gaga tornou-se a primeira pessoa na história a ganhar Globo de Ouro, Critics Choice, BAFTA, Grammy e Oscar na mesma temporada de prêmios. Mas engana-se quem pensa que a trajetória dela até aqui foi fácil.

“Eu trabalhei duro por muito tempo. E não é sobre vencer, é sobre não desistir. Se você tem um sonho, lute por ele. Existe uma disciplina para a paixão.” Disse Gaga ao vencer o Oscar no último dia 24. Após alguns anos se apresentando em clubes noturnos de Nova York durante o final de sua adolescência, e tendo composto canções para artistas já renomados como Britney Spears, New Kids On The Block e Pussycat Dolls, a jovem Stefani Germanotta viu sua vida mudar completamente em 2008, ao se tornar Lady Gaga, uma estrela pop mundialmente conhecida, quase que instantaneamente. Desde então, a “Mother Monster”, como também é chamada, vem conquistando uma comunidade de fãs apaixonados e devotos que ela carinhosamente batizou de “Little Monsters” e mostrando sua desenvoltura artística na música, nas passarelas, na TV e no cinema.

Ilustração feita em parceria entre Marciano Palácio, que desenhou Gaga e Anderson Mahanski, responsável pela série Super Drags, da Netflix e desenhou a Madona. Arte: Marciano Palácio e Anderson Mahanski.

 

Nasce uma estrela

“Nasce uma Estrela” não marca a estreia de Gaga na atuação. Aos 15 anos de idade, anos antes de explodir mundialmente na música como Lady Gaga, Stefani fez uma breve participação na terceira temporada do seriado The Sopranos (1999-2007). Em 2016, ela recebeu um Globo de Ouro de melhor atriz em minissérie pelo seu papel como protagonista na 5ª temporada do seriado American Horror Story (2011) e revelou em seu discurso de agradecimento que “queria ser atriz antes de querer ser cantora, mas a música aconteceu primeiro”. Ela também já fez pequenas participações em outros longas, como Machette Kills (2013) e Sin City: A Dame to Kill For (2014). Além disso, Gaga estrelou o documentário Gaga: Five Foot Two (2017), dirigido por Chris Moukarbel para a Netflix, mostrando os bastidores da criação do seu quinto álbum de estúdio, que homenageia sua falecida tia, o “Joanne”; os preparativos de sua tão aguardada performance durante o “Halftime Show” do Superbowl em 2017, onde Gaga performou alguns dos hits mais marcantes de sua carreira; e como ela lida com a fibromialgia, doença com a qual foi diagnosticada, e que provoca intensas dores musculares.

Com roupas extravagantes, maquiagem exótica e perucas coloridas, ela criou para si, durante os anos iniciais de sua carreira, uma identidade que explorava diferentes combinações entre teatro e moda. “Eu gosto de viver entre a realidade e a fantasia, minha vida é um teatro”, disse ela para o quadro “Question Box”, em 2011, na Televisão Francesa. Por conta disso, logo tornou-se uma figura marcante no cenário Pop e um ícone fashion. Desfilou em 2011 para Thierry Mugler e Marc Jacobs em 2016. Ativista e bissexual declarada, Gaga sempre levantou voz pelos direitos da comunidade LGBTQ e se posicionou contra qualquer tipo de opressão. Junto com sua mãe, Cynthia Germanotta, criou em 2011 a “Born This Way Foundation”, fundação que tem o intuito de combater o bullying e melhorar a saúde mental dos jovens, para criar um mundo mais gentil e acolhedor.

Ilustração feita em homenagem à pré-estreia do filme “Nasce uma estrela”, em Londres. Arte: Marciano Palácio.

Trajetória pelo Oscar

Em 2015, Gaga fez sua estreia no Oscar ao apresentar um tributo para Julie Andrews durante a cerimônia, cantando um medley de “A Noviça Rebelde”. Ela foi ovacionada de pé pela plateia e eleita pelo site Celebuzz no ano seguinte, como dona da melhor performance da última década na premiação. “A melhor e mais incrível performer de nossa geração”, ressaltaram.

Em 2016, Gaga retornou ao palco do Oscar para apresentar “Till It Happens to You”, música de Diane Warren, co-escrita por ela para o documentário The Hunting Ground (2015), que concorria à melhor canção original naquela noite. Com uma performance que visava levantar uma discussão sobre violência sexual, tema do documentário, Gaga – sobrevivente de um estupro – convidou outras vítimas para subirem no palco com ela. Enquanto ela cantava os versos ao piano, elas mostravam para as câmeras mensagens gravadas em seus corpos como: “não é sua culpa”, “você não está sozinho”, “sobrevivente”, deixando a plateia emocionada. A revista Vogue comentou que a performance ficaria conosco por um longo tempo.

Gaga retornou ao Oscar esse ano, dessa vez concorrendo como melhor atriz, por seu papel de Ally em “Nasce uma estrela” e como melhor canção original por “Shallow”. Ela e Bradley Cooper apresentaram a música juntos ao piano e, mais uma vez, Gaga mostrou a que veio. Não apenas o momento foi destacado pelo site Pitchfork como um dos mais honestos da noite, como também Gaga saiu vencedora e levou para casa o seu primeiro Oscar.

Ilustração feita em homenagem à pré-estreia do filme “Nasce uma estrela”, em Los Angeles. Arte: Marciano Palácio.

Camaleoa do entretenimento

Shallow já acumula 31 prêmios. A música também conseguiu alcançar o 1º lugar na Billboard Hot 100, principal parada musical norte americana, de acordo com a atualização divulgada no último dia 04. Após a vitória e performance no Oscar, ela teve um impressionante salto de 20 posições no ranking, já que, de acordo a atualização anterior, a canção se encontrava em 21º lugar. Dessa forma, a música se tornou a quarta de Lady Gaga a atingir o primeiro lugar na parada, junto com “Just Dance”, “Poker Face” e “Born This Way”. Ela também se tornou a canção feminina a permanecer por mais tempo no topo do iTunes mundial, por 112 dias. Além de já ter recebido certificado de platina em diversos países, como EUA, França, Espanha e Portugal. Gaga também recebeu, no último dia 27 de fevereiro, um certificado no programa Jimmy Kimmel Live pelas 4 milhões de cópias vendidas mundialmente da trilha sonora de “Nasce uma Estrela” e pelos 2 bilhões de streamings mundiais.

No próximo dia 30 de maio, Lady Gaga segue com sua bem sucedida residência em Las Vegas, a “Enigma”, que celebra sua trajetória até aqui. Com apenas 11 shows já arrecadou aproximadamente 16 milhões de dólares e recebeu uma participação especial de Bradley Cooper para uma apresentação ao vivo de “Shallow” diante de uma multidão de fãs fervorosos.

Seja lotando shows em Las Vegas ou emocionando a plateia durante uma cerimônia do Oscar, Gaga se faz notar por sempre entregar performances marcantes ao vivo e que surpreendem o público, mantendo-os curiosos para saber qual será o próximo passo dessa camaleoa do entretenimento. Uma musicista disciplinada, artista Pop sempre disposta a correr riscos e se reinventar a cada novo trabalho. Ativista, compositora, produtora, modelo e atriz, Gaga está cada vez mais longe do superficial e nos mostrando por que merece ser considerada uma das artistas mais completas dessa geração.

 

______________________________________________________________________________

Essa é uma coluna de opinião. As informações e ideias expressas neste espaço são de responsabilidade única do autor.

 

Marciano Palácio é ilustrador e jornalista formado pela Universidade Federal do Cariri. Atualmente reside em Fortaleza, mas, suas raízes são em Juazeiro do Norte e Iguatu. Suas ilustrações já foram compartilhadas nas redes sociais pela própria Lady Gaga e outros artistas de Hollywood, como Viola Davis. Trevante Rhodes comentou em um de seus posts nas redes sociais. Foto: Arquivo Pessoal.

CATEGORIA:

Bruna Vieira

Bruna Vieira

Bruna Vieira é mestra em Jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e bacharel em Jornalismo pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Atuou como repórter, produtora, editora e âncora em Rádio, TV, Impresso e Online. Vencedora dos prêmios SBR Pfizer 2017 e 2016, Fenacor 2016 e Criança PB 2015. "Recontar histórias de vida, com sensibilidade e humanismo, porque o jornalismo também é feito de afetos".