Notícias

Empregabilidade – Novo Mestrado em Letras da Urca vai elevar o nível profissional na região

Seminário para divulgação do curso será realizado em abril
Por Bruna Vieira • 20 de março de 2019

(Profissionais de Letras poderão cursar mestrado na área sem sair do Cariri. Foto: Assessoria Urca)

 

Formada em Letras e professora da rede estadual de ensino no Crato, Jaqueline Bezerra teve que deixar o Cariri para buscar qualificação profissional. Por dois anos, ela fez mestrado em Cajazeiras, na Paraíba e, atualmente, é doutoranda em Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, onde deverá morar por mais quatro anos. Recém-casada, ela dispara sem titubear “Caso tivesse mestrado na região, com certeza teria feito aqui. Inclusive, era um sonho meu cursar mestrado na Urca”, enfatizou.

Duas pós-graduações em dois estados diferentes do Nordeste, Jaqueline se ausenta pela segunda vez do Ceará. A cidade que a acolherá no Doutorado fica localizada no Alto Oeste potiguar, há cerca de 250 km de Crato. “A princípio, eu pensei em esperar que o curso chegasse à universidade, mas surgiu a oportunidade de fazer a seleção fora, além da necessidade, então eu tentei e deu certo”, justificou. Esse “êxodo” vivido pela professora deixará de ser a única opção para as milhares de pessoas com formação nessa área que desejam elevar seu nível educacional. Anunciado no início do mês pela Universidade Regional do Cariri, Urca, o Mestrado Acadêmico em Letras mudará esse cenário e deverá iniciar sua primeira turma no próximo semestre.

Compartilhando o mesmo sonho da colega de profissão Jaqueline, a professora Viviane Vieira aguardou por anos a chegada do mestrado na região. “Agora eu vejo uma oportunidade maior e melhor por ser perto de onde eu moro. A gente precisa estar sempre conhecendo e inovando também em sala de aula, a nossa didática, dinâmica de trabalho. Eu acredito que o mestrado contribui muito para isso”, declarou.

Para o coordenador do novo curso stricto sensu da Urca, Edson Martins, a novidade é um grande avanço não apenas para o Cariri, mas, para todas as graduações em Letras do entorno, inclusive as semipresenciais, atingindo estados como Piauí, Paraíba e Pernambuco. “A Urca já tem papel de instituição pioneira, temos cursos em Campos Sales e Missão Velha também e, as áreas afins. O perfil do público-alvo são as ciências humanas, alcançando inclusive Direito e Jornalismo”, apontou.

 

Empregabilidade

Segundo o coordenador, o mestrado ampliará as possibilidades de crescimento dos profissionais no mercado de trabalho. “Tem a questão do ingresso em concurso público, o título qualifica melhor e em muitos é exigência. O desenvolvimento da carreira sofre impacto positivo com agregação ao currículo profissional, amplia a capacidade de elaboração teórica, permite estar antenado com os debates atuais da nossa área, que reflete na formação do profissional. Acreditamos no efeito econômico e qualificação do material humano na área de educação com a formação das primeiras turmas desse mestrado”, declarou.

A professora Jaqueline vislumbra a melhoria do ensino com a qualificação dos profissionais. “Será bom tanto para a região quanto para os profissionais da área. Primeiramente, pela localização da universidade, já que Crato é muito acessível, não haverá dificuldades em deslocamento. Segundamente, porque os profissionais poderão se qualificar, o que é satisfatório para a área, para a universidade e para as instituições onde trabalham”, reiterou.

Viviane ressalta ainda que o aperfeiçoamento é uma exigência no mercado de trabalho. “O mundo contemporâneo é muito exigente. Precisamos cada vez mais nos capacitar e aprimorar os conhecimentos. Um mestrado hoje em qualquer área é fundamental. Já faz um tempo que eu estou sonhando. Tem também a questão acadêmica, a pesquisa é muito presente nos cursos de pós-graduação. Só tem a contribuir para o crescimento profissional, o ensino, a instituição em que trabalhamos e o conhecimento dos alunos”, concluiu.

 

Aspectos regionais

Apesar de não ser um mestrado de estudos regionais, referências ao Cariri aparecem nas propostas. “Não é uma condição, mas, há bastante aspectos regionais sendo trabalhados tanto na área de linguística, quanto de literatura. Tenho gente que vai propor a discussão da produção de discurso na indústria de turismo, seja religioso, científico, de aventura ou entretenimento. No meu caso, estou orientado para o estudo da literatura oral, da cultura popular”, esclareceu.

Ao mesmo tempo em que capta estudantes que iriam para mestrados de outros locais, o da Urca não vai se sobrepor a eles, porém, busca sua própria identidade. “A região tem um papel importantíssimo. Isso envolve a colaboração que o mestrado propõe com instituições da região, como a lira nordestina, a escola de saberes de Barbalha e a própria rede de pesquisa já construída pelos docentes. Tem toda essa rede que fortalece a ideia de dinamizar o cenário de pesquisa na região e sobre a região”, ressaltou.

 

Bolsas

A coordenação do mestrado destaca que a Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Funcap, assumiu o compromisso de que nenhum curso novo ficará sem bolsa no Ceará. E espera atenção especial por se tratar do primeiro curso do interior do estado. Além disso, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, Capes, também reserva uma cota de bolsas ao aprovar os cursos. As normas serão definidas com base em cada agência financiadora e elaboradas no edital.

 

.Primeiro passo para o doutorado

A primeira reunião do colegiado do curso foi realizada na última sexta-feira, 15. Foram discutidos detalhes do edital e procedimentos e aprovada a realização de um seminário em abril, para divulgar e esclarecer dúvidas da comunidade interna e externa. O processo está bem adiantado e a aula inaugural está prevista para agosto. É o primeiro passo para a criação de um doutorado na área, que dependerá do bom desenvolvimento do mestrado.

 

Um sonho de quase 10 anos

2011: Primeiras iniciativas (realização de eventos, criação da primeira revista científica por grupo de estudo, a segunda viria um ano depois. Com estrato B2, recebeu artigos de países em vários continentes).

2015: Escrita do projeto.

2017: Submissão do projeto à Capes. Mudança presidencial modificou política de avaliação dos cursos.

2019: Aprovação do projeto pela Capes.

 

Área de concentração: Linguagem e Cultura

Linhas de pesquisa:

Língua, discurso e identidades

Poéticas da palavra, cultura e sociedade

 

17 disciplinas

16 vagas

 

Docentes

O corpo docente é formado por professores de renome na região. Além do coordenador, Dr. Edson Martins, fazem parte do quadro: Dra. Cláudia Rejanne Pinheiro Grangeiro, Dr. Francisco de Freitas Leite, Dr. Newton de Castro Pontes e Dr. Raul Azevedo de Andrade Ferreira, do Departamento de Línguas e Literatura. E as professoras: Dra. Maria Elias Soares, Dra. Maria Margarete Fernandes de Sousa e Dra. Sandra Maia Farias Vasconcelos, da Universidade Federal do Ceará, UFC.

 

Três opiniões:

“É um grande avanço, não é só o acesso, permitir que as pessoas deixem de buscar fora essa formação, porque em alguns casos, dependendo do que a pessoa pretende fazer na sua carreira, vai buscar fora mesmo. Há programas em ensino, outros em tradução, linguística aplicada. O que não havia era a opção de permanecer aqui. Esse cenário novo altera essa condição” – Edson Martins, coordenador do mestrado em Letras da Urca.

 

“É um grande avanço em termos acadêmicos, porque o curso vai oportunizar a pesquisa e a produção científica, contribuindo assim para a geração de conhecimento e para o aumento da publicação de trabalhos acadêmicos” – Jaqueline Bezerra, doutoranda em Letras.

 

“Sem dúvidas é a oportunidade que nós formados em Letras esperávamos. Eu já andava bem ansiosa pela chegada do mestrado, pela facilidade e praticidade. É maravilhoso ter um mestrado aqui na região onde a gente mora. Facilita a vida de muitos profissionais que tinham que se ausentar, o que demanda recurso financeiro e desgaste maior, ter que deixar a família. É muito bem-vindo e bom para a nossa região, abre portas para quem mora aqui ou próximo” – Viviane Vieira, graduada em Letras.

CATEGORIA:

Bruna Vieira

Bruna Vieira

Bruna Vieira é mestra em Jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e bacharel em Jornalismo pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Atuou como repórter, produtora, editora e âncora em Rádio, TV, Impresso e Online. Vencedora dos prêmios SBR Pfizer 2017 e 2016, Fenacor 2016 e Criança PB 2015. "Recontar histórias de vida, com sensibilidade e humanismo, porque o jornalismo também é feito de afetos".