Empreendedorismo e Inovação

Empreendedorismo e formalização: dicas para iniciar o seu próprio negócio

Por Márcio Silvestre • 3 de maio de 2019

Ter seu próprio negócio é um sonho para muitas pessoas. Iniciar um novo projeto, investir na sua carreira e se tornar o seu próprio chefe são fatores que motivam muitas pessoas a empreender. No Cariri, houve um crescimento no número de Microempreendedores Individuais, nos últimos anos, caracterizada pelo pujante crescimento comercial, principalmente no município de Juazeiro do Norte.

Muitos buscam garantir sua renda trabalhando de forma autônoma, ou conciliando seu trabalho diário com uma atividade informal que proporcione uma espécie de renda extra. A Administradora de Empresa, Andressa Lorena, fundou em 2013 o seu próprio negócio, a Amora Blusas. “A ideia era vender blusas personalizadas. De acordo com o que  gente foi produzindo, foram aumentando a quantidade de pedidos, o pessoal foi gostando do produto”, comenta Andressa, destacando a importância de se conhecer o mercado local e o perfil dos clientes antes de abrir o seu negócio.

Exemplo de empreendedorismo, peças da Amora expostas em loja colaborativa de Juazeiro do Norte. Foto: Márcio Silvestre.

O primeiro desafio para Andressa foi conquistar a confiança dos clientes. “Antes de abrir a Amora eu fiz pesquisa de campo para entender o perfil do mercado. É importante saber que você só pode ser empreendedor, se você gostar do negócio. É preciso gostar de empreender, oferecer seu produto, interagir com o público e dar 100% de si. Hoje a Amora está crescendo. Do final de 2018 pra cá, iniciamos as entregas para outras áreas e regiões. Daí eu implantei as vendas das blusas em atacado”.

Além dos recursos e estratégias para transformar sua atividade em um negócio economicamente vantajoso, o empreendedor precisa assegurar a formalização de sua atividade. Para a Agente de Desenvolvimento da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação de Juazeiro do Norte, Maria do Carmo, ao sair da informalidade o microempreendedor passa a existir como empresário e pessoa jurídica, passando a ter um CNPJ e a garantida de direitos e segurança para o seu negócio.

Estatísticas de Crescimento

É possível observar um crescente número de microempreendedores formalizados nos últimos dois anos em Barbalha, Crato e Juazeiro do Norte. De acordo com dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em 2016 haviam 11.014 MEI’s no Crajubar, esse número cresceu para 12.876, em 2017 e para 13.220 em 2018. O crescimento do empreendedorismo mostra que, na região do Cariri, as pessoas investiram na formalização de seu próprio negócio como estratégia de driblar o período de crise econômica.

Para a Diretora de Comércio e Serviços da Sedeci de Juazeiro do Norte, Josefa Costa, a implementação, da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas beneficiou o setor no Município. “A Lei possibilitou implantar as Salas do Empreendedor, que antes funcionavam apenas no Sebrae, para dentro da máquina pública do Município. Hoje temos o equipamento funcionando na Sedeci, na Faculdade de Juazeiro do Norte FJN e na Unileão. As salas favorecem o apoio às micro e pequenas empresas e sobretudo a formalização do Microempreendedor Individual”, informa.

Dicas para quem deseja empreender

Além de ter vontade e visão de negócios é necessário desenvolver aptidão para o empreendedorismo:

  • ser capaz de executar o que se propõe com muita vontade, determinação, competência e uma boa dose de ousadia;
  • ter desempenho diferenciado dos profissionais comuns, de modo a se destacar facilmente em tudo que faz;
  • não medir esforços para atingir seus objetivos;
  • ser dotada de várias qualidades que a credencia para o sucesso;
  • ser consciente de que só se chega lá à custa de muito trabalho e dedicação.

Para saber mais informações sobre como se tornar um MEI acesse site do SEBRAE no link: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae

 

Márcio Silvestre

Márcio Silvestre

Formado pela Universidade Federal do Cariri (UFCA), com experiência em Assessoria de Imprensa e Produção Cultural. "A comunicação e a arte se cruzam no meu caminho. Descobri no jornalismo a oportunidade de contar histórias e compartilhar conhecimento".