Arte e Cultura

Dicas de moda: confira o que vai ser tendência no Festival Expocrato 2019

Por Redação Cariri • 11 de julho de 2019

Por Renata Linard.

 

O Festival Expocrato já está batendo na porta. Uma das épocas mais esperadas na região do Cariri, promete, além de muita música, um verdadeiro desfile de estilos diversos e criativos. Para ajudar os leitores na escolha dos looks, nós entrevistamos as estilistas Ariane Morais e Samara Rangel. A conversa rendeu dicas fáceis e valiosas, que fazem toda a diferença na hora de aproveitar a programação festiva com conforto e beleza.

Segundo as estilistas, os tecidos que estão mais em alta são: malha sued, lurex, couro fake, malha canelada, veludo e paetês. Este último foi uma surpresa para quem é do universo da moda, pois é um tecido mais marcante, usado geralmente em festas de fim de ano. O calendário do universo fashion aponta que estamos, nessa época do ano, vivenciando as tendências do inverno. No Cariri, embora não consigamos observar as estações tão bem definidas, faz mais frio durante essa época do que nas demais. “No calendário da moda, estaríamos no inverno. No sudeste, por exemplo, os looks são todos de inverno. Então, isso justifica o porquê de tecidos como o veludo, o próprio falso couro e o lurex estarem em alta. São malhas mais quentes mesmo. Aqui, o pessoal procura por conta da Expocrato”, explica Ariane.

Os curtinhos farão o maior sucesso no Festival Expocrato. Os tecidos brilhosos são uma boa pedida! Foto: Pinterest

Samara lida diariamente com solicitações de looks e, apesar do ponto destacado por Ariane, em relação ao conforto térmico dos tecidos em alta, ela diz que a busca por essas malhas é para a confecção de peças bem curtas e justas. “A procura é maior por vestidos e saias. Na verdade, todos eles [os tecidos] são mais para fazer estes tipos de peça. Para blusas, as pessoas estão usando muito a transparências, como aqueles sutiãs rendados. O negócio é ver quem aparece mais, quem brilha mais por aí. Além de peças muito curtas, buscam também mostrar as laterais, um decote”, confirma a dupla.

Bota: um tipo de acessório sempre presente na Expocrato

Ariane e Samara começam falando algo que deixa muita gente de boca aberta: não é porque as botas são de cano alto que a peça de baixo da roupa precisa ser, proporcionalmente, curta. “Elas já pensam no modelo, acham que porque estão de bota a roupa tem que ser minúscula. Quanto mais alta a bota, menores são as roupas que elas usam. Tem botas longas que você pode usar saias mais longas também, por exemplo, as midis. Fica super bonito“, orientam.

Existem muitas dúvidas sobre o que dá sensação de alongar ou diminuir a silhueta. A dica, nesse caso, é ponderar. “A bota é um calçado que você tem que ter muito cuidado com o que você vai usar, porque ela já fecha muito seu pé, a sua pele. Se for uma bota mais longa, você estará com a base da perna completamente fechada”, explicam.

Hit ou Flop: o que vai ser tendência e o que não vai

Os conjuntos voltaram com tudo! Homens e mulheres estão apostando em tecidos com a mesma estampa. A tendência pode deixar a composição mais séria ou mais divertida. Quem decide é você. “Isso acontece tanto no feminino quanto no masculino. Os meninos têm usado muito blusa de botão e bermuda no mesmo tecido”, comentam.

Como já mencionamos, os vestidos curtinhos estarão fortemente presentes, apesar do frio. Nos tecidos, como diria Rihanna, “Shine bright like a diamond”! “Para essa época, é super tendência esses vestidinhos muito justos, não tem como não ser, mesmo que esteja frio, é o que pedem muito. Nos tecidos, muito brilho”, aposta Ariane.

Sugestão de peça para ser feita a partir do tecido paetê. A criatividade é a principal sensação transmitida desse look. Foto: Pinterest

Para quem não quer um look muito exposto, a terceira peça pode ser usada também. Ariane e Samara defendem que a técnica da sobreposição dá um efeito imediato de sofisticação. “A terceira peça, que a gente chama, geralmente é: blazer, colete, casaco. Ela dá uma sobreposição no look, que é chique. Mesmo que você esteja com uma roupa muito curta, quando você põe uma terceira peça, você já se vestiu um pouco mais elegantemente. É ótimo para quem não tem muito quadril, dá uma disfaraçada maravilhosa usar a terceira peça”, ensinam.

O que flopou foram os tecidos em franja e paetês dourados. As transperências seguem forte e, quanto as cores, os tons terrosos também estão bastante em alta.

Entre vestir e se sentir bem

As estilistas relatam que as mulheres que costumam comprar os tecidos para fazerem as roupas já vêm, geralmente, com a opinião formada. “A cliente que vem comprar o tecido e que quer fazer a roupa não se importa com o corpo dela porque ela mentaliza que aquele modelo vai dar nela, seja o corpo dela qual for”, contam. Ariane defende que a moda é bastante democrática e que caiu por terra o papel de impor às pessoas que se moldem para caberem em alguma peça ou abraçarem determinada tendência.

Como disse a estilista Samara, quem vê um tecido de veludo não imagina os looks maravilhosos que podem surgir. Essa inspiração é um exemplo disso. Foto: Pinterest

Para que as peças tenham um bom caimento e, principalmente, proporcionem bem-estar a quem as usa, as estilistas orientam a busca pelo autoconhecimento, através dos conceitos da Consultoria de Imagem e Estilo. “Hoje em dia, as pessoas têm acesso a muita informação, mas conheça seu corpo, a sua personalidade, o que você faz, o que você gosta, o que você quer passar. A roupa te dá essa opção muito claramente. Você passa uma mensagem muito explícita. Eu, por exemplo, posso ser uma Ariane que num dia sou sexy, no outro sou super básica… Você não precisa ser uma personagem que se veste todos os dias iguais”.

CATEGORIA:

Redação Cariri