Cariri Sustentável

Como podemos mudar nossas cidades?

Para ampliar a discussão sobre sustentabilidade e ideias inovadoras que podem transformar a sociedade, a CARIRI resgata hoje um texto publicado na edição 14 da nossa revista, em janeiro de 2014. Boa leitura!
Por Redação Cariri • 7 de dezembro de 2018

Imagem: Pablo Scapinachis/Shutterstock

 

Por Isabela Bezerra

As cidades estão cada vez mais sufocadas. Há lixo, congestionamento, falta de segurança, estrutura, educação e menos áreas públicas para apreciar momentos de lazer. E como podemos mudar nossas cidades? Por onde começar? E a quem procurar?

Foi na busca de respostas que conheci o TED (sigla em inglês para Tecnologia, Entretenimento e Designer), uma organização sem fins lucrativos que promove e estimula ideias que merecem ser espalhadas. O TED realiza conferencias no mundo inteiro, onde pensadores e colaboradores são convidados para compartilhar suas experiências. O objetivo é gerar profundas discussões e conexões entre um pequeno grupo de pessoas, de modo que as ações ali apresentadas possam servir, posteriormente, de exemplos e inspirações. As palestras estão disponíveis gratuitamente pela internet, através do canal TED no Youtube. Pessoas como Bill Gates, Bill Clinton, Bono Vox e Regina Casé participam do TED.

Em setembro de 2013, o evento aconteceu em São Paulo. Pensadores e inovadores reunidos no TEDx City 2.0 compartilharam ideias inovadoras capazes de transforma o futuro das nossas cidades, através de soluções sustentáveis e ações colaborativas.

A apresentação que mais me entusiasmou foi da Alessandra Orofino, de 24 anos, do Rio de Janeiro. Ela criou uma rede de mobilização na cidade do Rio (Meu Rio), usando tecnologia da informação. Com essa ferramenta é possível criar campanhas para melhoria da cidade, capazes de, por exemplo, impedir a destruição de uma das escolas públicas mais importantes do Rio (no local seria construído um estacionamento para a Copa do Mundo de 2014); até conectar qualquer cidadão com o prefeito ou secretários da cidade. A mensagem mais importante foi de que as pessoas envolvidas com a cidade, através de ações participativas, são os responsáveis pela melhoria desse espaço comum.

Outra experiência marcante foi contada pela jornalista Fabíola Cidral, âncora do programa da CBN São Paulo. Durante o trabalho voluntário que fazia no Japão, após o terremoto e o tsunami de 2011, a jornalista entendeu que a força de mobilização das pessoas é capaz de gerar mudanças. O resgate da autoestima de cada cidadão é uma parte fundamental para o processo de melhoria da cidade.

Conexão, inovação e cultura são elementos capazes de gerar mudanças. Entender que a cidade é um espaço comum e nos pertence é o primeiro passo para a construção de uma relação orgânica entre os cidadãos e a cidade. E a única esperança é que cada um deve fazer sua parte. Porém, teremos mais força se existir uma mobilização das pessoas no sentido da mudança urgente e imprescindível.

 

Redação Cariri