Economia e Negócios

Alternativas para o crescimento do polo calçadista do Cariri são discutidas em seminário

Por Márcio Silvestre • 5 de dezembro de 2019

O Seminário Polo de Calçados do Cariri – Retomada do Crescimento, realizado no palácio da microempresa Sebrae Juazeiro do Norte. O evento, realizado pela Prefeitura de Juazeiro do Norte, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação (Sedeci), Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Sindicato das Indústrias de Calçados e Vestuário de Juazeiro do Norte – SINDINDÚSTRIA – e SEBRAE, trouxe os palestrantes do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Sérgio Knorr, Aline Maldaner, da Associação Brasileira da Indústria de Calçados – ABICALÇADOS, Sérgio Ferreira, da APEX BRASIL NE, e Roseane Medeiros, Secretária Executiva da Indústria do Estado.

A principal alternativa apontada para o reaquecimento do setor calçadista da região foi a exportação. O Secretário de Desenvolvimento Econômico e Inovação de Juazeiro do Norte, Michel Araújo, destacou a alta de quase 62% no volume de exportações acumulado no primeiro semestre do ano, em relação ao mesmo período de 2018. O total foi de US$ 252. 824. Os maiores consumidores, atualmente, são países da América Latina, mas a intenção é alcançar a África e a Europa.

“A conclusão da Ferrovia Transnordestina, ligando o Cariri ao Porto do Pecém, viabilizaria a importação de matéria-prima para a produção a baixo custo; ao mesmo tempo, facilitaria a exportação dos produtos”, disse Michel Araújo.

Segundo a Secretária Executiva da Indústria do Estado, Roseane Medeiros, a expectativa para o término da obra é positiva. Ela também enfatizou que o Ceará, como um todo, tem bom acesso logístico a diversos continentes.

Aline Maldaner e Sérgio Ferreira ressaltaram que a ABICALÇADOS e a APEX, juntos, disponibilizam o programa Brazilian Footwear, que visa ampliar as exportações do setor calçadista brasileiro para o mundo. Atende a empresas que já exportam e aquelas que querem começar a exportar, independentemente do porte. Podem ser grandes ou pequenas. A adesão é gratuita e simples. A APEX, agência do Governo Federal, atua na promoção das exportações brasileiras, atração de investimentos estrangeiros e apoio à internacionalização de empresas do Brasil.

Outra saída para a retomada do crescimento do polo de calçados do Cariri deve ser o investimento na área tecnológica. Sérgio Knorr, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações afirmou que os ciclos econômicos estão ligados à inovação.

“Ou seja, vem novidade que muda o mercado de modo radical. Depois, torna-se tudo comum de novo. Então, há um declínio na economia, sendo necessário voltar a inovar. É preciso estarmos preparados para a revolução do momento, a Indústria 4.0, das fábricas inteligentes, que utilizam as inovações tecnológicas para automatizar e otimizar os processos operacionais produtivos, agregando mais eficiência e customização ao consumidor final”, explicou.

Exportação de Calçados

Na fábrica Malibu, em Juazeiro do Norte, as exportações vêm crescendo. Esse ano, até agora, o aumento gira em torno de 12%, se comparado a 2018.

“Percebemos a sazonalidade, períodos em que vendíamos menos dentro do Brasil, e decidimos que era preciso exportar. A necessidade acabou com o medo. Estamos satisfeitos, ainda mais diante da alta do dólar”, salientou a empresária, Rosana Ribeiro.

Para impactar na produção industrial com mão-de-obra qualificada, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação- Sedeci- possibilitou o Prodecii, programa voltado à consultoria especializada. Além disso, a Sedeci vem sendo ponte entre o empresariado local e as Instituições de Ensino Superior para estágios.

“Seguindo a orientação do Prefeito Arnon Bezerra, estamos fortalecendo o tripé poder público, iniciativa privada e academia, objetivando alavancar a nossa economia”, pontuou o titular da pasta, Michel Araújo.

* Com Ascom. Fotos: Carlos Lourenço.

Márcio Silvestre

Márcio Silvestre

Formado pela Universidade Federal do Cariri (UFCA), com experiência em Assessoria de Imprensa e Produção Cultural. "A comunicação e a arte se cruzam no meu caminho. Descobri no jornalismo a oportunidade de contar histórias e compartilhar conhecimento".