Cariri Sustentável

Agenda 2030: preservação das florestas como forma de efetivar o desenvolvimento sustentável

Por Márcio Silvestre • 3 de setembro de 2020

Os impactos do período industrial e pós-industrial sob o meio ambiente geraram degradação à natureza, extinguindo espécies e prejudicando biomas inteiros. Dentre os objetivos da Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável, traçado pela ONU está a proteção e recuperação dos ecossistemas terrestres, que visa gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e a perda de biodiversidade. Para se colocar em prática esse objetivo é necessário, antes de tudo, promover a conscientização coletiva sobre a importância de se preservar o meio ambiente.

A expansão urbana e o desmatamento das florestas para extração de madeira, inserção agrícola, garimpo e queimadas são algumas das ações que põem em risco as florestas. 2020 foi o ano em que a Amazônia registrou o maior índice de desmatamento, por falta de políticas públicas e fiscalização que inibam as atividades ilegais na floresta.

É fundamental que a população denuncie atividades ilegais que colocam em risco os ecossistemas do país. O serviço Linha Verde do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é um canal que pode ser usado para denuncia aos maus tratos com o meio ambiente, através do telefone 0800-61-8080 ou pelo e-maillinhaverde.sede@ibama.gov.br.

Entender o nosso papel para o cuidado com a natureza é o primeiro passo para mudar esse cenário e efetivar os objetivos da agenda 2030.

Foto: Chapada do Araripe (reprodução)

 

Márcio Silvestre

Márcio Silvestre

Formado pela Universidade Federal do Cariri (UFCA), com experiência em Assessoria de Imprensa e Produção Cultural. "A comunicação e a arte se cruzam no meu caminho. Descobri no jornalismo a oportunidade de contar histórias e compartilhar conhecimento".