Economia e Negócios

Cariri Retrospectiva: A união faz a farinhada

Por Redação Cariri • 1 de março de 2019

Já faz parte da tradição cratense visitar o Parque de Exposições Pedro Felício Cavalcante para degustar as tapiocas e beijus da Casa de Farinha. Os responsáveis pela fama de boa qualidade da farinha e da goma caririenses são as mulheres e homens da Associação Comunitária da Vila Malhada, na zona rural do Crato, que há dez anos produzem, organizam e administram o espaço. Todo o encanto temperado das tapiocas ou beijus de coco e amendoim reside no fato de serem subprodutos da mandioca cultivada na terra da comunidade, por meio da agricultura familiar, e preparados no forno de tijolos, com acesso à lenha remanejada. É alimento orgânico de primeira qualidade, feito pelas mãos calejadas de cozinheiros experientes.

Moradores do Cariri, visitantes da região e turistas de todo o Nordeste já passaram pelas instalações da Casa de Farinha à procura da goma fresca, da tapioca com amendoim e do beiju com coco. O presidente da Associação Comunitária da Vila Malhada, José Ferreira, agricultor de 45 anos, conta que, nos dias de evento no Parque, saem em torno de 2.800 a 3.000 itens do menu. O beiju de coco, de 700 gramas, feito com a fécula da mandioca, é o líder de vendas. Em média, são usadas 15 toneladas de farinha por dia. “Quase todos os ingredientes do preparo são cultivados na própria comunidade. O plantio e o beneficiamento da mandioca, a venda das sacas e das tapiocas fazem parte da nossa subsistência”, informa José, orgulhoso dos frutos do trabalho coletivo. Como ele explica, apenas o coco é adquirido por fora.

site.farinhada

A tradição remonta à história da Vila Malhada, quando, em 1960, as primeiras famílias se uniram e começaram a plantar e a vender seus produtos agrícolas, iniciando um processo de autonomia da comunidade. Em 2004, a Malhada foi beneficiada por programas de crédito fundiário do Governo Federal. Com a reforma da casa de farinha centenária do sítio e a compra de dez hectares de terra para plantio, a mandioca foi a cultura escolhida para chefiar as colheitas. No ano seguinte, os moradores experimentaram participar da Expocrato, e o sucesso nas vendas dos produtos foi o maior motivo para voltarem. Desde então, atendem nos quatro principais eventos de exposição do Crato ao longo do ano: a Expoaf, a Expo São João, a Expocrato e o Berro Cariri.

Para os moradores da Malhada, nada se perde. As sacas que não são abertas nos eventos retornam para o estoque de vendas. E, fora de épocas de festas, a Casa de Farinha da Vila trabalha com a encomenda de tapiocas e beijus nos fins de semana. Mesmo sendo a mandioca a produção mais expressiva do sítio, ainda são plantados amendoim, milho, arroz e feijão, que ajudam na renda das 11 famílias assentadas em épocas de baixa.

SERVIÇO

Casa de Farinha
Parque de Exposições Pedro Felício Cavalcante
Rua Maj. José Gonçalves, nº 333 – Crato

Associação Comunitária da Vila Malhada
Fazenda São Silvestre – Vila Malhada – Distrito Ponta da Serra, Crato
(88) 9 9619-6841

Redação Cariri