Consumo e Estilo, Revista 0

Sonho antigo em uma ilha chamada Bali

Por Iara Souza

Era uma tarde de agosto quando informei à minha família que mais uma vez iria pegar a mochila. Mais uma vez viajaria sozinha e realizaria um sonho de criança: conhecer a Ásia. Dentre os países que queria visitar, depois de fazer uma difícil seleção de destinos, a Indonésia estava no topo da lista. E foi o amor que sinto pela natureza que fez meu coração bater mais forte por Bali.

Bali é uma ilha misteriosa, cheia de encantos e sabores. Conhecida como “Ilha dos Deuses”, nela vemos a prática de uma das religiões mais antigas da humanidade: o hinduísmo balinês. Os balineses destinam parte do seu dia para adorar, com oferendas, rituais e artes, seus deuses e semideuses, que são representados por símbolos da agricultura.

Os elementos da natureza são a própria configuração dos poderes dos deuses. Ou seja, cada rocha, árvore ou animal é reflexo das divindades. Dessa forma, todas as relações, atitudes e práticas balinesas são voltadas aos costumes e à religião. Por isso, estar em Bali é estar refletindo constantemente sobre a relação entre o homem, a natureza e a divindade. Um turista na Indonésia não deve, sob hipótese alguma, ferir os costumes locais. É preciso estudar bastante os hábitos e comportamentos balineses, sob risco de sofrer alguma penalidade.

Vale a visita ao Tegalalang, um dos maiores e mais famosos arrozais de Bali. A vista deste local é incrível! Há também a encantadora Floresta de Macacos (Sacred Monkey Forest Sanctuary), uma área de conservação destinada aos macacos balineses (ou de cauda longa) que reflete a doutrina hindu “Tri Hata Karana”, cuja filosofia indica que há três maneiras de alcançar o bem espiritual: mantendo relações saudáveis entre os homens, entre os homens e a natureza e entre a natureza e a divindade. É incrível! São muitos macacos que andam e pulam em você.

O sul de Bali é encantador e incrível para amantes de praia, surfe e mergulho. As praias de Padang Padang e Uluwatu são lotadas de surfistas. No templo que existe na praia de Uluwatu eu vi o pôr do sol mais incrível da Indonésia. É incomparável! De lá até Ubud são três horas de viagem. Você pode alugar um carro, locomover-se de ônibus ou, como eu, alugar uma moto (que se parece com uma Biz sem marcha). Importante ressaltar que para os mais aventureiros que queiram alugar a moto é necessário ter carteira de habilitação e ser bem paciente, porque em alguns lugares o trânsito é bem louco.

A temperatura média anual do país é de 30 °C, com chuva entre os meses de dezembro de março. A alta estação acontece nos meses de julho a setembro. Apesar do difícil idioma, o inglês é bastante falado em restaurantes, hotéis, albergues e pontos turísticos. Não é caro viajar em Bali. Não à toa, a ilha é considerada um dos destinos mais baratos do mundo! Hospedagem, comida e passeios têm preços bem acessíveis, podendo ficar mais barato ainda se você ficar hospedado em albergues e comer em lugares baratos, como eu fiz.

Bali é um destino incrível, que foge aos nossos costumes ocidentais, capaz de favorecer nossa prosperidade espiritual. É sempre bom viajar procurando mergulhar na cultura local e ir de cabeça aberta. Não viaje apenas para tirar fotos, postar e voltar para casa. Procure ter uma experiência significativa e crescer com isso! Algumas pessoas sempre me perguntam se eu não tenho medo de viajar sozinha, de pegar a mochila e sair pelo mundo. Minha resposta é sempre a mesma: “Medo eu sempre tenho. Mas eu vou, apesar dele, porque o que eu vivo quando estou na estrada ninguém tira de mim!” Obrigada. Ou, como dizem os balineses: Terimakasih!

TEMPLOS PARA VISITAR EM BALI

O coração da cultura de Bali fica em Ubud, onde se encontram muitos templos e arrozais. Recomendo:

  • Templo de Águas (Pura Tirta Empul ou Holy Spring Water Temple), onde os balineses se banham em rituais de purificação.
  • Caverna do Elefante (Goa Gajah), onde o visitante entra atravessando a “boca de um demônio”.
  • Templo Gunung Kawi, todo construído na rocha e que possui um conjunto de natureza e arquitetura impecável.
  • Templo Pura Tanah Lot, que significa “Terra no Mar”. Conta a lenda que um santo hindu, enquanto meditava em uma rocha, teve a visão de que aquele lugar era sagrado e, portanto, deveria ser transformado em templo. No dia seguinte, a grande rocha havia se deslocado para o mar, virando uma pequena ilha. Diante do milagre, foi construído o templo nesta ilhota, dedicado a adorar os deuses do mar.

Sugestões de Leitura