VIC_8768
Economia e Negócios, Revista 0

Somos todos kariri!

Depois de estudar 14 anos para se tornar cirurgião pediátrico, o Dr. David Negrão decidiu se aventurar no mercado da construção civil no Cariri. Com o simples desejo de aproximar pessoas e colocá-las em sintonia direta com a natureza. Enquanto a mente ferve em mil ideias, ele se diz “megalomaníaco” e fácil de “enjoar” de fazer uma coisa só, por isso se divide entre os ofícios de médico, professor da Universidade Federal do Cariri e empresário. A CARIRI fez uma visita à sua casa e conheceu a trajetória de sucesso que ele traçou em todos os projetos deste médico, professor e empresário que não suporta usar paletó.

Por Felipe Azevedo e Pedro Philippe
Fotos: Vicente Souza

Um homem de negócios convencional decerto listaria nos seus objetivos, ao concluir um projeto, o lucro e os benefícios que o empreendimento pode trazer. Dr. David caminha na contramão desse processo, deixando claro seu principal objetivo na construção civil: arquitetar espaços onde sejam firmados os laços de afeto entre as pessoas. “O que me inspira a continuar construindo moradias é quando observo, no fim da tarde, as crianças brincando em um lugar seguro e remanso e os adultos conversando tranquilos nas áreas de convivência. Isso me dá força nos momentos difíceis da vida de empreendedor”, revela.

Formado em Medicina pela Universidade Federal de Pernambuco em 1996, David Negrão passou por duas residências médicas, uma em São Paulo e outra em Recife, a fim de se especializar em cirurgia pediátrica, vindo mais tarde a se aperfeiçoar em cirurgia oncológica pediátrica. Os estudos só se encerraram em 2004, quando defendeu sua tese de mestrado em Pediatria, novamente pela UFPE. Os anos em Recife permitiram-lhe morar no Sete Casuarinas, um condomínio campestre localizado entre o que resta da Mata Atlântica. O lugar, que estimula os habitantes a manterem um estilo de vida sustentável, despertou em David o desejo de repetir a experiência em Barbalha, sua terra natal.

A vida em comunidade inspirou o projeto do Terra dos Kariris, o primeiro empreendimento do Dr. David, inaugurado em junho de 2007. Durante uma conversa no deck da piscina do condomínio ele conta sobre o valor do convívio próximo entre pessoas e do seu próximo passo no segmento, o Cidade Kariris Residencial Club, já com obras iniciadas em Juazeiro do Norte. O intuito é efetivamente construir uma pequena cidade, projetando desde as ruas, até os parques infantis – a cidade das crianças, inspirada na Downtown Disney. Esse espaço em especial foi pensado para integrar atividades de lazer junto às ações educativas como, por exemplo, o canteiro para estimular os pequenos a reciclar e plantar. “Considero esse local o mais importante e é onde eu mais interfiro no trabalho do arquiteto”, completa.

Defensor da medida sustentável, David se apropria da responsabilidade de empreendedor e firma um compromisso ambiental: “não há a opção de alguém comprar uma casa minha sem sistema de aquecimento solar”, diz. Nos últimos anos, a sustentabilidade se tornou pauta certa nas discussões acerca das atividades de uma empresa inteligente e a Kariris Empreendimentos – grupo dirigido por David – se apropria da causa e integra aos seus projetos de condomínios horizontais, sistemas de aquecimento solar no chuveiro, pias e banheira. O próximo passo acontece na construção do Cidade Kariris Residencial Club, onde as duas primeiras casas vendidas têm o sistema próprio de geração de energia e são complexos auto sustentáveis que captam a luz do sol para gerar eletricidade durante o dia.

 

VIRTUOSAS INFLUÊNCIAS

As viagens para Dubai e Estados Unidos serviram para materializar a ideia de construir, no Cariri, ícones e símbolos arquitetônicos – seu segundo compromisso enquanto empresário. Essa inspiração, somada ao desejo de tornar a região conhecida pelo desenvolvimento, resultou em sete noites sem dormir, montando projetos que, segundo David, nos próximos anos serão referências regionais inovadoras em dimensão e beleza. E é assim que define seu empreendimento no Crato, a torre comercial Kariris Blue Tower, que começa a ser erguida em outubro. “Quando se fala em Dubai, lembramos do prédio Burj Al Arab. Meu objetivo é que, ao mencionar o Crato, as pessoas se lembrem do Blue Tower”, enfatiza.

O barbalhense Paulo Costa, arquiteto responsável por colocar no papel as ideias de David, o acompanhou na viagem aos Emirados Árabes, de onde voltaram motivados a contribuir com ações que dinamizassem o turismo do Cariri. Apesar de se espelhar em Dubai, uma cidade que apresenta altos índices de poluição, David vê o desenvolvimento a partir de uma perspectiva que privilegie construções sustentáveis que não esgotem recursos naturais nem agridam o meio ambiente.

Dados da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) mostram que os maiores atrativos da região do Cariri são os eventos culturais, feiras de negócios, o turismo ecológico e científico-cultural, práticas esportivas, visitas à Chapada do Araripe e as romarias em homenagem ao Padre Cícero. O que move o turismo em Barbalha é o artesanato, a literatura de cordel e as manifestações folclóricas. “O turismo é o evento mais saudável para o desenvolvimento humano”, comenta David. Por hora, ele prefere não revelar quais são os seus projetos, mas deixa algumas dicas do que pode ser: “Tudo vai se integrar lá no final, com o desenvolvimento do turismo, porque nós vamos ter ações que potencializam isso. Se Deus permitir, vocês vão ver e vão lembrar dessa nossa conversa, daqui a 10 ou 20 anos”, pressente.

VIC_8747

I <3 BARBALHA

A simplicidade de David é perceptível no jeito que ele se veste, no tom suave da sua voz, no seu vocabulário e no amor que tem pela sua terra. “Quando era estudante de Medicina e morava em Recife, toda vez que fazia amizade com alguém de outro país, eu tratava de trazê-lo para conhecer a nossa região”, conta. Os anos de residência médica no Instituto Materno Infantil de Pernambuco o aproximou de estudantes estrangeiros que eram constantemente convidados a conhecer o interior do Ceará. “Eu queria trazê-los para verem a beleza que temos aqui e para que eles pudessem ser agentes divulgadores dessa nossa realidade”.

David diz ter um “patriotismo exacerbado” por Barbalha e que ajudar a região a se desenvolver é a “força maior” da sua vida. “Não foi por acaso eu ter nascido aqui. Tem aí uma coisa muito forte!”, ele diz, contando a história de seu nascimento. O ano era 1972, Seu Francisco, o pai, era capataz em uma fazenda no Rio Branco e Dona Arlete, a mãe,  quase a completar o período da gestação, entrava em um karmman ghia para uma viagem de 13 dias do Acre para o Cariri. “Meu primeiro filho é homem e vai nascer em Barbalha”, sentenciou o pai. Poucas horas depois da chegada no Cariri, nascia o primogênito, homem e barbalhense, do jeito que Francisco havia sonhado.

O amor pela cidade natal é tão grande que David sonha um dia correr a São Silvestre com uma faixa na cabeça escrito “I Love Barbalha”. Em 1997, quando fazia residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Heliópolis, em São Paulo, ainda tentou participar da corrida, mas se esforçou tanto nos treinos que acabou machucando o joelho. Recentemente voltou a praticar atividades físicas regularmente e está se preparando para um dia participar da maratona, homenageando sua terra. Sobre a sua relação com a palavra “Kariris”, ele se empolga e responde enérgico: “agora você lembrou a essência de tudo!”

A bravura dos índios kariris inspirou David a batizar seus empreendimentos e, quando reclamam que os nomes dos condomínios e prédios causam confusão, ele responde tranquilo: “Não tem problema. Somos todos kariris.” Como quando trazia estrangeiros para conhecer sua cidade, David quer fazer o Cariri ser conhecido mundialmente pela história e pontos turísticos da região. “Eu vivo em uma cruzada para promover o desenvolvimento, o que começou com a construção do Terra dos Kariris”, diz. “Entendo que a gente tem de criar diferentes pilares de desenvolvimento”, completa, explicando que dinamizar o turismo local é sua próxima ação.

VIC_0476

EM SE PLANTANDO, TUDO DÁ

“As pessoas não vão mais para as capitais. Quem mora a um raio de 200 ou 300km daqui, vem para cá”, ele diz, usando como exemplo a localização do Centro de Oncologia do Hospital São Vicente para ilustrar o potencial do desenvolvimento do Cariri. “Temos solo e água propícios, um mercado consumidor próprio e um centro de distribuição grande. Então, por que a gente não consegue desenvolver a agricultura?” Adepto da alimentação vegetariana e ferrenho opositor do uso de agrotóxicos, David gostaria de ver os pequenos agricultores produzindo com mais autonomia.

O uso de tecnologias e a obtenção de alta produtividade ainda é um sonho distante das famílias que plantam em pequenas porções de terra no intuito de suprir suas próprias necessidades e, na medida do possível, comercializar. Dependentes de comerciantes e atravessadores, sem instrução para o manuseio do arado, para o uso de fertilizantes e sem preparo para a negociação e utilização de defensivos agrícolas, os pequenos produtores do Cariri  precisam de um estímulo na produção e no gerenciamento de sua colheita para se tornarem novos empresários. Esse auxílio, quem sabe, virá por meio de David.

O sonho de ver a agricultura regional tornar-se capaz de oferecer produtos saudáveis e de qualidade, produzidos de maneira sustentável e que beneficiem a todos os envolvidos no processo, coincidem com suas expectativas para a construção. “O lema da Kariri Empreendimentos é ‘construir um mundo melhor para as pessoas’”, afirma. Ele e seus parceiros costumam planejar construções que favoreçam não apenas os moradores – ainda que sejam direcionados a eles os projetos que visam prover paz, harmonia, tranquilidade e proximidade com a natureza – mas, também, os colaboradores diretos, que têm toda a assistência de seus empregadores.

Não é de hoje que David suja a mão de areia em uma plantação. Ele conta que, até entrar na faculdade, todas as suas férias eram dedicadas a ajudar o pai na roça, de 3h da manhã às 22h. “Ele era uma pessoa de pouca instrução, mas era um empreendedor. Ele me chamava e dizia: ‘meu filho, venha comigo pra você ver como é dura a vida de um agricultor, que é pra você estudar e virar um doutor’, ele dizia isso de um jeito bem simples. Eu passava as férias inteiras trabalhando no canavial com ele.” Quando Seu Francisco Arquimedes faleceu, em 1994, o jovem David tinha 21 anos, estava no 9º semestre da faculdade e recebeu a incumbência de administrar os negócios do pai e suprir as necessidades da família.

MEGALOMANIA DELE

“Minha inspiração maior vem das pessoas daqui. Lá fora eu só vou aprimorar as ideias”, ele diz, explicando que os caririenses são a sua razão de ter retornado ao Cariri. O terreno onde hoje residem cerca de 40 famílias no condomínio Terra dos Kariris pertencia ao Sr. Francisco e foi herdado por David a fim de cumprir o que ele diz ser sua missão na terra: construir laços de interação entre as pessoas. Sua intenção é tão genuína que, em horas de conversa sobre seus empreendimentos, é raro ouvir palavras como “lucro” e “dinheiro” – ainda que esteja claro que ele é um homem bem sucedido. Sua fé o permite crer que a recompensa virá em outro momento. “É como quando a gente atira uma pedra no lago e depois vê a onda se espalhando. De onde eu estiver, eu vou estar olhando para essa onda”, acredita.

O prédio residencial Kariris Home Service, com entrega prevista para o final de 2016, já tem prontos 16 dos seus 20 andares. Enquanto isso, no começo de maio, o Cidade Kariris já estava iniciando sua segunda e última etapa de construção e o Blue Tower já preparava seu alicerce. Como se não bastassem as multitarefas na construção, Dr. David ainda atende pacientes diariamente e, três vezes na semana, leciona a disciplina de Cirurgia Pediátrica na Faculdade de Medicina de Barbalha. Como que tentando se explicar, ele diz: “acho que meu maior defeito é ser megalomaníaco, não consigo pensar em uma coisa só”, revela.

Ao ser questionado a respeito do motivo pelo qual não segue o padrão dos grandes empresários no modo de se vestir, David dispara: “tenho aversão a usar paletó e gravata. Se você estiver do meu lado no dia do meu enterro e eu estiver usando mortalha, por favor diga que eu pedi pra vestir um tênis e uma camisa de malha.”

VIC_0443

CARIRI Revista: O senhor se mostra muito espiritualizado e sensitivo. Qual a sua formação religiosa?

Dr. David Negrão: Acredito que todos os caminhos levam para Deus. A religião é como a língua, somos educados de acordo com os costumes à nossa volta. As orações que cada pessoa faz nunca são iguais, o importante é que tudo leva a um só Deus.

CARIRI Revista: Há algum tipo de lembrança da vida em convivência que o senhor traga da sua infância?

Dr. David: Totalmente. Me lembro quando eu brincava na Rua da Matriz em Barbalha, a gente tinha uma liberdade tremenda de andar pelas ruas sem se preocupar com violência, trânsito e tudo isso que impossibilita os nossos filhos de fazer o mesmo.

CARIRI Revista: Como o senhor avalia a imagem que o Cariri carrega em outros lugares?

Dr. David: O nosso desenvolvimento deve muito ao turismo religioso, e acredito que, apesar dos grandes avanços no comércio, a nossa imagem lá fora seja apenas essa. Da minha maneira, quero contribuir para que a nossa região se transforme em referência do desenvolvimento completo, principalmente, viabilizando edificações que sejam símbolos desse avanço tecnológico carirense.

CARIRI Revista: O senhor é pai, médico, professor e empresário. Como fazer com que tudo isso caminhe em harmonia?

Dr. David: Certa vez, em uma conversa com o Padre Airton, contei para ele de algumas angústias que eu tinha nesse sentido, foi um momento muito decisivo na minha vida; o padre afirmou que sentiu uma energia realizadora em mim e disse que se eu me concentrasse em apenas uma atividade, perderia essa essência.

 

Publicado em junho de 2014, na edição #16 da CARIRI Revista

Sugestões de Leitura