Qual o destino do lixo em Juazeiro do Norte?

Há dois anos, universitários colaram nas lixeiras do campus Lagoa Seca da Universidade Federal do Cariri um aviso “Penso, logo reciclo”. Abaixo a mensagem continuava descrevendo: aquela lixeira não era um poço sem fim enviando seu rejeito para outra dimensão. O pensamento, no mínimo curioso, vai de encontro a preocupação de muitos sobre qual é destinação correta do lixo e por que do assunto só chamar atenção popular quando o problema está entulhado em frente as casas. Em 2010, a Política Nacional dos Resíduos Sólidos exigiu como meta a total eliminação de lixões a céu aberto até 2020 para cidades pequenas e até 2018 para cidades médias e grandes. Isso porque, até 2008, o IBGE estimava que 50,75% das cidades dispunham resíduos de forma inadequada em vazadouros, deixando entidades alarmadas para os perigos ambientais decorrentes dessa prática. Encontrados nas Áreas de Preservação Ambiental (APA), na Floresta Nacional do Araripe (FLONA) e no Geopark Araripe, uma solução viável para os lixões do Cariri passou a ser desafio de órgãos governamentais, organizações civis e movimentos sociais. Desde que o Banco Mundial (Bird) deu um passo atrás com o financiamento de R$ 38 milhões para a implantação do Aterro Sanitário Consorciado do Cariri … Continue lendo Qual o destino do lixo em Juazeiro do Norte?