Consumo e Estilo, Reportagens 0

Projetos e instituições que trabalham pela educação, entretenimento e saúde das crianças do Cariri

Em comemoração ao Dia das Crianças, selecionamos cinco projetos que atuam no Crato, em Barbalha, Missão Velha e Nova Olinda, trabalhando pela educação, saúde e recreação das crianças. Conheça o Coletivo Camaradas, que há anos cuida de meninos e meninas da pobre Comunidade do Gesso; os livros de Auricélia, que se abrem para as crianças do Parque Granjeiro; os Anjos que Jakeline reúne para trazer alegria aos pequenos de vários lugares do Brasil; os pais e profissionais da saúde que lutam pelos direitos e tratamento de crianças com autismo na região e as brincadeiras sérias dos jovens profissionais da Casa Grande.

COLETIVO CAMARADAS
_mg_1968

Foto: Hélio Filho

Acontece neste 12 de outubro a 8ª edição do Dia das Crianças na comunidade do Gesso, no Crato. A partir das 13h, o Coletivo Camaradas estará promovendo uma tarde com programação extensa: acontece uma oficina de criação de fantasias improvisadas, apresentação circense, o tradicional cortejo com a banda Zabumbar, contação de histórias com a contadora Elizabeth Pacheco, além de desenho e pinturas. Não distribuem brinquedos, recebe doação que ficam na brinquedoteca. “Nós combatemos esse consumismo infantil, então a ideia é de que a brincadeira seja um momento de troca de saberes e fazeres”, explica Alexandre Lucas, responsável pelo projeto.

A sede do Coletivo Camaradas fica na Rua Ministro João Gonçalves, nº 29, no Gesso. Toda sexta-feira à tarde, a casa abre para receber crianças na Brinquedoteca, espaço onde voluntários e crianças da comunidade se reúnem para aprender através de jogos e brincadeiras, além de oficinas e rodas de poesia.

Saiba mais

LEITURA NA PRAÇA
759

Foto: Divulgação

Auricélia Melo morava em frente à praça Antônio Crispim, no Parque Granjeiro, e a cada fim de tarde e nos fins de semana, saía com os filhos à rua. Enquanto eles jogavam bola e andavam de bicicleta, ela aproveitava para ler livros. O trecho, por estar ao lado de um restaurante e estar sempre movimentado, ainda é dos mais seguros. A praça divide uma quadra com a Capela de Nossa Senhora da Conceição, onde sempre há meninos brincando.

Auricélia é das que acreditam que a comunidade tem de ocupar a rua e que a praça ainda é um espaço lúdico, uma extensão de cada quintal. Ela então viu a solução na porta sua casa: por que não criar um projeto de leitura para as crianças a cada sábado? Nascia então o Leitura na Praça, uma iniciativa que já dura dois anos, mesmo Auricélia não morando mais nas redondezas. Ela chega lá por volta das 16h, com caixas e mais caixas de livros infantis e um par de vassouras. Depois de limpar o chão do pátio e estender os tapetes, cerca de 30 crianças de todas as idades se sentam para escolher um em meio à centena de livros que Auricélia leva.

Saiba mais

 

ANJOS DA ENFERMAGEM
anjos-da-enfermagem_nucleo-maranhao-13

Foto: Divulgação

Jakeline Duarte é natural de Farias Brito e estudava Enfermagem em Fortaleza quando “conheceu” Patch Adams. O autor de O Amor é Contagioso mudou a vida dela no momento em que descobriu as práticas de recreação e entretenimento para crianças em tratamento oncológico. Jakeline então transferiu seu curso para a Universidade Regional do Cariri para pôr em prática, na sua terra, o projeto que viria a buscar a cura através do riso. O Anjos da Enfermagem, iniciado em 2004, tomou proporções grandiosas, que a enfermeira jamais imaginou: hoje o projeto acontece em 23 hospitais de todo o Brasil, é parceiro do Conselho Federal de Enfermagem e de 23 faculdades, é levado por 176 voluntários diretos e quase 2 milhões indiretos. É  maior projeto social de Enfermagem do Brasil – e encontra-se no Cariri!

Na nossa região, os Anjos da Enfermagem fazem a alegria dos pacientes da ala infantil de oncologia do Hospital Maternidade São Vicente de Paulo. Para colaborar, entre em contato através do e-mail secretaria.anjosdaenfermage@gmail.com e pelo telefone: (88) 3571-3101.

 

ASSOCIAÇÃO DE PAIS, PROFISSIONAIS E AMIGOS DE AUTISTAS DO CARIRI
ama-940x529

Foto: Divulgação

Quando Pedrinho tinha dois anos de idade, Ana Moésia e Frank Macêdo suspeitavam que ele viesse a apresentar algum problema de audição, já que não atendia quando era chamado, não respondia a barulhos e era apático na maior parte do tempo. Depois de todos os exames descartarem essa possibilidade, restou o diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista (TEA). Pedro Igor hoje tem 7 anos e vem motivando mudanças não só na rotina da sua casa, mas na escola onde estuda, na cidade de Missão Velha e em todo o Cariri. Isso porque a sua condição inspirou seus pais a criarem a Associação de Pais, Profissionais e Amigos de Autistas do Cariri (AMA).

Uma das primeiras ações que a AMA promoveu em Missão Velha foi um mutirão de dois dias, em 15 e 16 de agosto do ano passado, onde neuropediatras, psiquiatras, psicólogos, psicopedagogos, terapeutas ocupacionais, advogados e assistentes sociais fizeram uma força-tarefa para levantar diagnósticos de crianças e adolescentes de várias cidades vizinhas, instruí-los em relação a cobrança de benefícios e aconselhamentos diversos. Edilânia Maria da Silva, mãe do Matheus, nessa mesma época lutava para que a Prefeitura Municipal cumprisse a lei e desse ao seu filho o tratamento e os medicamento que ele necessitava. Juntos, Edilânia e a AMA conseguiram fazer com que a Secretaria de Saúde naquela cidade atuasse como devia.

Saiba mais

FUNDAÇÃO CASA GRANDE
helio-filho_mg_1851

Foto: Hélio Filho

A casa azul da Rua Jeremias Pereira, em Nova Olinda, tornou-se um dos principais atrativos da cidade de Nova Olinda e até de toda o Cariri. Criada por Alemberg Quindins e Rosiane Limaverde, a Fundação Casa Grande abriga o Memorial do Homem Kariri, onde encontram-se artefatos e achados do casal, resultados de anos de pesquisa pela região. Aos poucos, a casa foi se enchendo de meninos e meninas que iam ali para brincar, até que Alemberg e Rosiane resolveram apresentar novas brincadeiras às crianças: elas hoje brincam de fotografia, rádio, cinema, produção, arqueologia, museologia, história, entre outros temas.

Diz a Missão da Fundação: “A Fundação Casa Grande – Memorial do Homem Kariri tem como missão a formação educacional de crianças e jovens protagonistas em gestão cultural por meio de seus programas: Memória, Comunicação, Artes e Turismo.

Os programas de formação da Fundação Casa Grande desenvolvem atividades de complementação escolar através dos laboratórios de Conteúdo e Produção. O objetivo é a formação interdisciplinar das crianças e jovens, a sensibilização do ver, do ouvir, do fazer e conviver através do acesso a qualidade do conteúdo e ampliação do repertório.”

Na edição #18 da CARIRI Revista, contamos a história de Alemberg Quindins e, na edição #23, foi a vez de Rosiane Limaverde ganhar um perfil em nossa publicação. Leia as duas reportagens e saiba como os criadores chegaram a criar a Fundação Casa Grande.

Sugestões de Leitura