Fotografia, Reportagens 0

Mulheres de Barbalha

Exposição na Escola de Saberes de Barbalha homenageia grandes mulheres da cidade

Reza a lenda que Barbalha era dona de uma hospedaria que recebia quem ia ou voltava do Pernambuco pelas terras que mais tarde teriam seu nome. Não há fotos de Dona Barbalha, apenas alguns registros de que ela era simpática (tratava os clientes muito bem) e também muito forte (abria a mata sozinha com facão na mão). A cidade nasceu de uma mulher e o nome dela é falado toda vez que se diz “Barbalha”.

Para homenagear mulheres barbalhenses que participaram da construção histórica e social da cidade, as historiadoras Georjânia Lima e Débora Santos lançaram ontem (08) o projeto Temporalidade Lilás: Conhecendo essas Mulheres do Cariri, que conta com a exposição fotográfica Mulheres Poema. Depois de reunirem um acervo com histórias de 91 mulheres, Georjânia e Débora fizeram um recorte de tempo, dos anos 1950 a 1980, com 35 mulheres.

“Resolvemos pesquisar por categorias, como economia, desenvolvimento social, religião, educação, entre outros. Assim chegamos às lavadeiras, engomadeiras, professoras, educadoras, artesãs, religiosas e, a partir daí, surgiram vários nomes. Da invisibilidade, fez-se a visibilidade”, Georjânia conta. “Nessa pesquisa, nós encontramos barbalhenses fortes, mulheres de fibra. A responsabilidade que elas tinham de sustentar a casa era muito maior do que a do o marido. Quando não tinha roupa para lavar, elas quebravam coco. Se viravam de todo jeito”, Débora complementa.

A exposição inaugurada ontem conta com acervo fotográfico dos familiares das mulheres homenageadas, além do arquivo dos memorialistas José Lúcio e Padre Paulo, e tem curadoria de Adriana Botelho. O projeto traz também palestras sobre gênero e direitos civis, com a advogada Nághela Moura e as professoras Zuleide Queiroz (URCA) e Poliana Luna (UFCA). O artista visual Roger Grafiti participará da oficina de grafite sobre o tema da mulher. O projeto foi contemplado pelo X Edital de Incentivo às Artes, da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará (Secult).

Mulheres de Barbalha (1)

Onorinda França e Nascimenta França (Lavadeiras de Roupa e Quebradeiras de Coco)

Mulheres de Barbalha (16)

Maria Terezinha, cantora do grupo Incelenças

Soledade (Parteira)

Soledade (Parteira)

Mulheres Poema

Longina Gomes da Silva (rendeira, agricultora)

Maria Terezinha Lima (Agricultora, quebradeira de cocos, Grupo de Incelências das Cabeceiras)

Ester Magalhães (Contabilista)

Socorro Neves (Cantora e catequista)

Maria do Socorro Cândido (Artesã)

Soledade (Parteira)

Maria Dolores de Sá Barreto (Parteira)

Irmã lduara Kaindl (Educadora confessional)

Maria Alacoque Sampaio (Poetisa, compositora, catequista)

Juventude de Alencar Parente (Tabeliã)

Maria Ironina de Sá Barreto (Musicista, cantora de música sacra)

Expedita Almeida (Engomadeira de roupa e lavadeira)

Maria Nazaré dos Santos Vieira (Doceira, Artesã)

Edeltraut Lerch (Enfermeira, diretora do Hospital São Vicente de Paulo)

Clébia Correia (Membro do Conselho Paroquial da Igreja Matriz)

Concebida Furtado (Farmacêutica)

Maria Salomé de Sousa “Saló” (Bordadeira e catequista)

Josefá Alves de Sousa (Pedagoga)

Maria Letícia Ferreira Lima (Pedagoga)

Lídia Duarte Fernandes (Funcionária dos Correios)

Maria Angelina Leite (Pedagoga)

Maria do Carmo Luna (Pedagoga)

Antonieta Cavalcante Nascimento, Tieta (Costureira)

Minerva Diaz De Sá Barreto (Cientista política)

Naiza Alves Monteiro (Pedagoga)

Onorinda França e Nascimenta França (Lavadeiras de Roupa e Quebradeiras de Coco)

Idelzuite (Rezadeira)

Corina (Vendedora de merendas)

Maria Estevan, Maria Passarinho (Lavadeira de roupas)

Celene Queiroz (Agente cultural)

Ozenir Correia, ou Maria Linhares Sampaio (Pedagoga)

Murica (Funcionária pública)

Argentina Torres (Vereadora, comerciante)

Maria Noemia Cândido de Brito, Dona Deca (Feirante, comerciante)

Mulheres de Barbalha (15)

Edeltraut Lerch (Enfermeira, diretora do Hospital São Vicente de Paulo)

Mulheres de Barbalha (18)

Concebida Furtado (Farmacêutica)

Escola de Saberes de Barbalha

Palácio 3 de Outubro

8 de março, às 18h

Mais informações

 

*Na foto em destaque:

Corina (Vendedora de merendas): Foi a primeira a ter banca de venda de merendas na Praça da Estação. Era conhecida por suas vendas de bolos, tapiocas, cocadas e café na parada de ônibus para as cidades do Crato e Juazeiro.

Sugestões de Leitura