Cariri Sustentável 0

Mais de 4 mil poços clandestinos ameaçam qualidade da água subterrânea

Restringida desde 2015 pelo Conselho de Recursos Hídricos do Estado do Ceará, a perfuração de poços tubulares nos limites de Crato, Juazeiro e Barbalha continua de maneira clandestina, denunciou a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (COGERH). Estima-se a existência de quatro mil poços clandestinos nos 23 municípios jurisdicionados na Sub-Bacia do Salgado.

A medida de restrição foi tomada após técnicos encontrarem contaminantes como coliformes fecais e elevados níveis de metais pesados nas águas diretamente ligadas aos aquíferos. Segundo a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos, a qualidade das águas do Aquífero Médico pode ser comprometida caso continuem a prática de perfuração ilegal.  

A COGERH monitora 2.613 poços legalmente cadastrados na Sub-Bacia do Salgado, sendo 1.593 desses específicos para abastecimento humano. Todos os pedidos de perfuração, seja para abastecimento humano ou interesse público, devem ser encaminhados para a Câmara Técnica de Águas Subterrâneas do Comitê da Sub-Bacia Hidrográfica do Rio Salgado. 

A maioria dos poços perfurados ilegalmente são para uso de empresas e pequenos usuários. Denuncias de perfuração ilegal podem ser feitas pelos telefones da Ouvidoria do Estado (155) e da COGERH (88 3523-6302). 

.

ABASTECIMENTO

Em Crato, a água vem das quase 80 fontes diretas da Chapada do Araripe, entre elas, a fonte do rio Batateira, onde nasce a Bacia do Salgado, sendo responsável por 30% de todo o abastecimento da cidade. Já Juazeiro do Norte, sem fontes, provém todo seu abastecimento hídrico da perfuração de poços profundos, que capturam água subterrânea e são levadas por tubulações.

.

Com informações de Cogerh e Jornal do Cariri.

.

LEIA MAIS:

Não vai faltar água no Cariri?

Sugestões de Leitura