Cariri Sustentável 4

Jovem cientista cria sistema de dessalinização único e sustentável que reaproveita 80% da água

O adolescente ainda disputa a patente do sistema que utiliza apenas a gravidade e a energia solar para funcionar.

Sistemas de dessalinização de água salina ou salobra não são novidades no campo das tecnologias de convivência com a escassez hídrica. No entanto, equipamentos como esses tendem a ser inacessíveis por alto custo, como os modelos industriais utilizados na Austrália, Emirados Árabes e Arábia Saudita.

Imaginando uma solução prática e de baixo custo que pudesse ser aplicada no semiárido brasileiro, um grupo de estudantes de Juazeiro do Norte e Barbalha elaboraram um modelo compacto de dessalinizador fototermofuncional, ou seja, que funciona pela luz do sol.

O protótipo do dessalinizador foi destaque no campo de Sustentabilidade da II Mostra Científica do Cariri (Mocica) e tem passaporte garantido a maior feira de ciências do Brasil, a FEBRACE, em São Paulo e para a London International Youth Science Forum, na Inglaterra, em agosto desse ano.

O dispositivo originalmente caririense está em processo de patenteamento e também participa do programa de startups Corredores Digitais, do Governo do Estado do Ceará, em parceria com a Microsoft e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação de Juazeiro do Norte, que visa transformar ideias em produtos ou serviços economicamente viáveis.

O que é tanto um orgulho quanto uma surpresa para Luiz Gustavo Morgado, 16 anos, nome à frente do projeto e que está iniciando a última etapa do Ensino Médio em Juazeiro do Norte. Fascinado por tudo o que envolve física, química, matemática e robótica, o futuro engenheiro mecatrônico (ou engenheiro de biotecnologia) nunca imaginou que um dia estaria apresentando um protótipo inovador para representantes da gigante da tecnologia Microsoft.

“Eu queria estar em um projeto que fizesse a diferença para as pessoas e me impulsionasse como futuro profissional”, relata. “Então procurei meus professores e um deles, o Ricardo Fonseca, me aconselhou a olhar em volta e procurar por um problema que precisasse urgentemente de uma solução”. E fez bem-feito.

“Vivemos em uma região que sofre com a escassez de água e a crise hídrica é uma realidade não só aqui, mas no mundo. Esse sistema pode beneficiar quem mais precisa e menos tem”, defende Luiz.

 

O dessalinizador, que foi criado como atividade extracurricular de Luiz Gustado e amigos no Ensino Médio, agora disputa patente internacional (Fotos: Alana Maria).

 

A TÉCNICA DO DESSALINIZADOR

Com auxílio dos ensinamentos da física e da química temperados com criatividade, Luiz Gustavo e amigos construíram um sistema vertical de quase 2 metros que comporta 24 entradas para depósitos de água apenas com canos de PVC e garrafas pet.

Inspirados na geometria das plantas, em especial do Pinheiro, cada encaixe está posicionado a uma angulação de 45º por 120º para maximizar a incidência solar e evitar o sombreamento dos depósitos de água (garrafas pet).

A cada litro de água salina ou salobra inserida no sistema, 80% é reaproveitado como água semi-destilada tipo A3, que pode ser consumida, mas sua ingestão em excesso não é recomendada. O reaproveitamento da água pode ser utilizado livremente em higienizações, limpezas da casa, no jardim ou na irrigação de hortas.

“A grande sacada é a simplicidade!”, afirma o professor João José Anselmo, ex-membro do Comitê da Sub-Bacia Hidrográfica do Rio Salgado, especialista em gestão ambiental, sobre o dessalinizador vertical. “O dispositivo vai de encontro à sustentabilidade, ao reaproveitamento e ao máximo aproveitamento dos recursos. Ele é leve, compacto, barato, reproduzível, prático e sem custo de energia, pois é fototermofuncional. É genial”, explica o professor que levou o protótipo até a cidade onde ensina, Icó, para apresentar a ideia aos seus alunos no ensino superior.

 

COMO O SISTEMA FUNCIONA

 

Vídeo e Edição: Alana Maria

 

OUTRAS INICIATIVAS

Nacionalmente, o Programa Água Doce, desenvolvido pelo Ministério do Meio Ambiente em parcerias com estados e municípios, implantou 508 sistemas de dessalinização de água no semiárido brasileiro, região que engloba os 9 estados do Nordeste e parte de Minas Gerais, desde sua criação, em 2003.

Ao custo médio de R$ 150 mil por sistema completo, o Governo Federal pretende inaugurar outros 742 em 2018. O Ceará é o estado mais beneficiado pelo Programa Água Doce, com total de 248 unidades em 40 municípios, onde a água dessalinizada e beneficiada para consumo é vendida à R$ 1 por 20 litros.

Outro exemplo é um modelo paraibano de sistema baseado na evaporação e condensação pela luz solar. O projeto, desenvolvido pela Universidade Estadual da Paraíba, foi destaque no Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social de 2017. Orçado em R$ 1.000 a unidade, o sistema, em fase de experimentação, é construído com blocos pré-moldados fixos de cimento cobertos por vidro.

Sugestões de Leitura

  • Isac Araujo

    Em qual ou quais escolas estudam os protagonistas do projeto ? Que por sinal é muito criativo e fantástico …

    • Redação

      Oi Isac!
      O Luiz estuda no colégio privado Paraíso, em Juazeiro do Norte.
      O projeto foi desenvolvido como atividade extracurricular.

      Confira outras reportagens do gênero:
      Estudantes produzem biojoias e carvão ecológico em escola de Juazeiro do Norte (https://tinyurl.com/y8k5bvln)
      Jovens cientistas do Cariri criam sistema simples e barato de purificação da água (https://tinyurl.com/y8xy3s96)
      A ciência a nosso favor (https://tinyurl.com/ydc6butz)
      Em Crato, jovens estudantes dão exemplo de consciência alimentar e sustentabilidade (https://tinyurl.com/y84gpk68)
      Um pelotão ambiental ao seu dispor: alunos do Colégio Militar integram programa voluntariamente (https://tinyurl.com/ybj5nnkz)

  • Creusa Nina Ribeiro

    Parabéns e Sucesso.

  • Antonio Gomes Souza Filho

    Muito interessante! Já pensou quanto de conhecimento das várias disciplinas envolvidas é verdadeiramente assimilado nesse tipo de atividade? Dessa forma o conteúdo ganha significado e é assim que a escola deveria ser para estimular a curiosidade dos estudantes!