DSC_0024
Notícias, Políticas Públicas 0

Enfim, a reforma do Camelódromo

As longas, más iluminadas e estreitas fileiras de boxes e de barracas improvisadas no Calemódromo do Crato estão com os dias contados para a felicidade dos comerciantes. Vendedor informal há 20 anos, Francisco dos Santos comemora a autorização do início das obras de reforma assinada pelo governador Camilo Santana no último dia 17. Para ele, a nova estrutura do equipamento vai atrair mais consumidores e garantir melhores condições de trabalho, mas se preocupa com as vendas no meio tempo durante a construção.

“Chamavam aqui de ‘buraco do prefeito’, de ‘chiqueiro’, de tudo que era nome ruim”, ele diz a contragosto. “Quem empinava o nariz para o camelódromo vai morder a língua, porque a reforma vai deixar isso aqui bonito e agradável”, acredita.

"Tiro o sustento de minha família dessa lojinha no Camelódromo. Nem sempre foi bom, mas deu para comprar minha casa, meu carro e criar meus filhos". Francisco dos Santos, o seu Quinco.

“Tiro o sustento de minha família dessa lojinha no Camelódromo. Nem sempre foi bom, mas deu para comprar minha casa, meu carro e criar meus filhos”. Francisco dos Santos, o seu Quinco.

Orçada em R$ 1.652.573,84, a obra será executada pela Secretaria de Cidades com previsão de conclusão em até 8 meses após seu início. Em sua planta, o novo Camelódromo terá área total de mais de 1.700 m², 179 boxes, referentes ao número atual de associados, divididos por setores tais como “variedades”, “confecções”, “ferragens” e “frutas, legumes e temperos” e uma praça de alimentação.

DSC_0045

A reestruturação contará com acessibilidade na edificação, novas instalações elétricas, hidráulicas, sanitárias e pluviais, e sistema de som e controle (Fotos: Alana Maria)

Reivindicação de anos a fio, a reestruturação desse mercado popular atravessou gestões municipais, mesas de negociações em Bancos e gabinetes de Governadores, ficando na geladeira até então. “Apresentamos a demanda aos deputados Zé Ailton Brasil (agora Prefeito do Crato) e Arnon Bezerra (agora Prefeito de Juazeiro do Norte) e ao Governador Camilo no dia da inauguração da estátua de Nossa Senhora de Fátima e, graças a Deus, eles cumpriram suas promessas”, conta o presidente da Associação de Comerciantes Informais do Crato, Jussiê Paulino. “Foram anos de sufoco, mas, felizmente, agora a obra vai sair”, comemora.

NO MEIO TEMPO

Até o dia primeiro de março os vendedores deverão transferir todos seus produtos para a praça da Prefeitura, onde serão alojados temporariamente. Atualmente a praça está cercada por tapumes e com grande porcentagem de sua área sem calçamento, devido a retirada e o aterro de uma fonte d’água. Procurado pela reportagem da CARIRI Revista, o coordenador de projetos José Muniz afirmou que “a prefeitura não pode gastar recursos com medidas paliativas. A obra é o Camelódromo. Estamos dando o suporte necessário aos ambulantes disponibilizando o local público, mas o calçamento deverá ser por iniciativa da Associação deles”.

DSC_0051

Vendedores terão que enfrentar más condições no local provisório. “A prefeitura não pode gastar recursos com medidas paliativas”, afirma José Muniz, coordenador de projetos.

A mudança resgata à memória do vendedor Francisco os primeiros dias no Camelódromo, quando o chão ainda era de areia grossa, sem paredes e sem teto. Lembra de retirar sua banca da calçada onde hoje fica o Banco do Nordeste, assim como tantos outros fizeram, e se instalar no novo local, enfrentando o lamaçal a cada chuva e o forte sol de todos os dias. Foram necessários três anos para a rua Santos Dumont, entrada principal do Camelódromo, passasse a ter o movimento necessário para animar os negócios, ele conta.

Alegre com a reforma, mas preocupado como os negócios se manterão durante os 8 meses de obra, Francisco coça a cabeça em busca de respostas. “Meu único medo é que lá na praça seja como aqui foi no começo: vazio, sem movimento e de estrutura precária”, explica.

 

R$ 1.652.573,84

é o orçamento total da obra. São R$ 6,5 milhões do Governo do Estado investidos em convênios com a prefeitura do Crato. Desse, R$ 5.229.776,87 oriundos do Tesouro Estadual com contrapartida de R$ 1.310.591,52 da prefeitura.

Jussiê Paulino, presidente da Associação dos Comerciantes Informais de Crato, trabalha no Camelódrono há mais de 20 anos e comemora ação do Governo do Estado.

Jussiê Paulino, presidente da Associação dos Comerciantes Informais de Crato, trabalha no Camelódrono há mais de 20 anos e comemora ação do Governo do Estado.

A nova estrutura será dividida por setores tais como “variedades”, “confecções”, “ferragens” e “frutas, legumes e temperos” e uma praça de alimentação.

A nova estrutura será dividida por setores tais como “variedades”, “confecções”, “ferragens” e “frutas, legumes e temperos” e uma praça de alimentação.

O famoso pastel do Camelódromo.

O famoso pastel do Camelódromo.

Sugestões de Leitura