paykyb-8er8-ian-schneider
Crônicas 0

Dois mil e desestresse

Terminado o famigerado 2016, assim como um montão de outras pessoas, eu arquitetei muitos planos. Pessoalmente eu não gosto de colocar planos no papel porque detesto criar expectativas e me frustrar. Então coloquei tudo desorganizadamente na cabeça mesmo. Caso as coisas não corressem segundo os meus projetos eu sofreria menos. De antemão advirto que isso não ajuda muito. Eu não tenho provas escritas de que fiz planos, mas os meus arquivos mentais atuam severamente sobre mim.

Nem tudo ficou só na minha cabeça. Alguns planos eu compartilhei com quem eu amo, outros são tão romantiquinhos que tive vergonha de verbalizar, alguns estão completamente no campo das coisas impossíveis [mesmo assim não consigo deixar de desejá-los], outros são bem possíveis, mas dependem do meu empenho e disciplina – Prepare-se para a primeira grande revelação de 2017: Eu não sou disciplinada!

Bem, o fato é que eu quis falar aqui de metas para o novo ano e aí é aquela coisa, né? “Primeiro você estabelece as metas, depois você dobra as metas!”. Não é não! Eu não gosto nem de metas, muito menos de metas dobradas e não sei se isso é bom ou ruim – a gente bem podia inaugurar uma sessão aqui daquelas em que os leitores mandam cartas contando seus problemas e alguém sob pseudo nome responde bem doidamente! Ainda existe isso?

Recuperando o fio da meada: eu não gosto de metas dobradas! Isso me incomoda! Você fica de boas com isso? Por que a gente planeja tanto o ano novo?

Eu até compreendo que haja uma coisa legal em olhar para o novo ano como uma folha em branco na qual vamos escrever uma história nova e tal, mas e esses planos, hein? Estou completamente atordoada com a quantidade de listas de metas para 2017 publicadas pelos meus amigos, conhecidos e desconhecidos das redes sociais!

E quer saber de uma coisa maluca? A cada lista que eu lia eu acrescentava alguma coisa na minha própria lista. Aí comecei o ano atarefadíssima! Gente, sério, tô cheia de coisas pra fazer! Coisas que eu prometi mentalmente para 2017 e olha, já tô cansada! Já estafei! O ano acabou de começar e eu já tenho tanta coisa para fazer que mal vejo a hora dele acabar!

Não dá para ser assim, né? – RESPIRA!!!!- Ainda tem mais de 360 dias novinhos para viver esse ano, então, vamos rebobinar a fita! – todo mundo sabe o que é isso – vou acordar tarde, lavar o cabelo, comer o que eu quiser e ver filme despretensiosamente mesmo que isso me traga a estranha sensação de que eu ainda me pareço com a mulher que fui em 2016.


Esta é uma coluna de opinião. As informações e ideias expressas neste espaço são de responsabilidade única do autor.

Sugestões de Leitura