15073563_1175496529153186_8093509542611432152_n
Consumo e Estilo, Reportagens 0

Designer carioca se inspira no Cariri

Carolê Marques compõe a equipe de estamparia no ateliê da Farm e dedica seus dias de trabalho a pensar exclusivamente em uma só coisa: brasilidade. É dever dela não deixar a marca esquecer da identidade brasileira, que é o atrativo e a razão de ser da Farm, que há 15 anos leva as cores, natureza e calor do Brasil para as suas roupas. O compromisso é tanto, que Carolê viaja uma vez por ano para buscar inspirações. Em 2015, ela escolheu ir até São Luís (MA) e, em novembro, aportou no Cariri, onde passou dez dias acompanhada do fotógrafo novaolindense Samuel Macedo. “Antes de vir, eu pensei: ‘eu quero ficar na companhia de alguém que trouxesse vivências e tivesse um olhar apurado para a arte'”, ela conta.

A dupla visitou as paradas obrigatórias do Cariri, como as oficinas de xilógrafos, terreiros de mestres do reisado e do coco, altares de rezadeiras, entre outras manifestações culturais, além das paisagens da Chapada do Araripe e de boas companhias na sala de Espedito Seleiro e na ONG Beatos. A visita à região, Carolê explica, ficará guardada na mala de onde ela tira ideias para colocar nas estampas da Farm. A marca já havia lançado a bolsa “flor do cangaço” e, em março deste ano, uma coleção de sandálias, ambas criadas por Espedito Seleiro. Casamento já feito entre Farm e Cariri, Carole conta que há tempos vinha pleiteando colocar a região em sua lista de lugares para visitar em nome da empresa. “Daqui eu vou levando as pessoas, as cores, as festividades, a alegria, as indumentárias das brincadeiras”, ela conta.

Ser(tão) paciente. #meninarendeira

A photo posted by Carolê (@carolemarques) on

Além da pesquisa para o trabalho, Carolê aproveitou os dias no Cariri para pôr em prática seu projeto pessoal, o #MeninaRendeira. Apaixonada pelas rendas brasileiras, ela faz desenhos de renda em larga escala, em paredes. A primeira pintura foi feita em Itaparica, no Pernambuco, no ano passado. “Desenhar rendas é uma verdade na minha vida, desde o nascimento da linha artesanal na Farm. Essa paixão cresceu quando comecei a me aprofundar em pesquisas e viagens pelo Nordeste Brasileiro. O Brasil virou meu objeto de estudo e a renda também. Mais do que isso: a rendeira virou minha musa inspiradora. Comecei a querer conhecer cada vez mais de perto essas mulheres fascinantes, que trabalham com uma garra tão grande e, ao mesmo tempo, chegam a um resultado tão delicado.”, ela contou em entrevista. No Cariri, três paredes ganharam os contornos de Carolê: uma casa na estrada entre Crato e Nova Olinda, a casa do Mestre Antônio da Rosa, em Santana do Cariri, e a ONG Beatos, no Crato.

https://www.instagram.com/p/BNRqUX6DL5O/?taken-by=carolemarques

 

Sugestões de Leitura