Arte e Cultura, Reportagens 0

Coletivo Dama Vermelha apresenta três espetáculos no CCBNB

Grupo caririense comemora 4 anos com mostra de seu repertório

Para comemorar quatro anos de existência, o Coletivo Dama Vermelha apresenta, nesta sexta-feira (29), a “Mostra Vermelha: Mapeando Territórios Cênicos”, com exibição de três espetáculos de seu repertório: “Rio Vermelho”, “Toque-me” e “Bradosil”. A mostra faz parte do “Setembro de Artes Cênicas”, evento promovido pelo Centro Cultural Banco do Nordeste. “O ano de 2017 culmina um tempo de existência e resistência do Coletivo Dama Vermelha”, o grupo explica em nota à imprensa. “O mês de setembro concretiza 04 anos de labuta de um grupo independente, em um cenário atual tão difícil para diversas classes, sobretudo a artística. Mas esta data marca a importância do acreditar, do seguir e acima de tudo de construir espaços, possibilidades e da capacidade de reinvenção”. As três performances acontecem em espaços distintos do CCBNB, em horários alternados.

Entrada gratuita
Classificação indicativa: 14 anos

Sobre o grupo*

O Coletivo Dama Vermelha surgiu no ano de 2013, sob a luz do Curso de Licenciatura em Teatro da Universidade Regional do Cariri (URCA). Inicialmente formado por estudantes do referido curso, projetou-se para além da instância da graduação, firmando-se como companhia independente, desenvolvendo processos de pesquisa e criação cênica na região do Cariri, mais pontualmente, na cidade de Juazeiro do Norte, Ceará. O Coletivo estreou nos palcos juazeirenses em setembro de 2013 e desde então sua produção artística não parou. Afirmando-se na região como grupo de resistência que investiga o hibridismo das linguagens do Teatro, da Dança e da Performance, conta em seu repertório com nove espetáculos, frutos do labor e investigação dos campos de conhecimento citados neste últimos anos. Seu repertório conta com os seguintes trabalhos: Avisem que faz mal (2013), Reminiscência (2013), Borboletária (2014), Toque-me (2015), Coisas que caem de mim (2016), Que horas ela vem para o chá? (2016), Bradosil (2016), (Des)Montar (2016), Balada da Dependência (2017).

*Informações da assessoria de comunicação
“Rio Vermelho”

Inspirado e sob a perspectiva da personagem shakesperiana Lady Macbeth, o experimento cênico traça uma linha tênue de uma mulher-homem que outrora fora soldado, ferro, coragem e pelas reviravoltas do destino ver-se sangue, insônia, loucura, consumando a tragédia que afirma uma culpa. Mas que, contemporaneamente, conquista a liberdade e autonomia de si, traçando seus próprios caminhos. Um rio vermelho em todo o corpo.

18h
3° andar – Centro Cultural Banco do Nordeste – Cariri
Duração: 30 minutos

“Bradosil”

“Bradosil” propõe em sua dramaturgia elucidar estereótipos e questões políticas e sociais do Brasil, a partir do humor crítico. O processo de criação surgiu a partir de temáticas como capitalismo, consumismo exacerbado, disparidade das classes sociais, cultura de padrões de beleza, a constante violência e insegurança pública, notícias midiáticas. Este espetáculo é fruto de uma parceria entre o Coletivo Dama Vermelha e a Academia de Dança e Artes Daniel Telles.

18h
Teatro (8°andar) – Centro Cultural Banco do Nordeste – Cariri
Duração: 60 minutos

“Toque-me”

“Toque-me” é um espetáculo-experiência híbrido da dança, teatro e performance que investiga as possibilidades e desdobramentos do toque no outro. Para além do tato, busca-se através da relação dialógica entre intérprete e espectador afetos mútuos, explorando os sentidos e abrindo campos para uma experiência sensível e reflexiva. Toque-me é um “acontecimento”. Na “presentificação” do olhar e troca de sensações com o outro, revelam-se estados adormecidos e/ou encobertos no turbulento fluxo contínuo que é a vida. “Aqui-agora” são expostas as fragilidades, as buscas e anseios, o vazio que vai tão além do corpo da persona. Toque-me é um complexo emaranhados de sentimentos expostos em carne viva, corpo, movimento.

20h
Galeria (5º andar)
Duração: 50 minutos

Sugestões de Leitura