Consumo e Estilo, Economia e Negócios, Notícias, Reportagens 0

3 excelentes iniciativas que conhecemos na Casa Grande

E que podem muito bem serem aplicadas no Cariri

Durante o São João Cultural da Fundação Casa Grande no último fim de semana, a CARIRI Revista pôde conhecer e conversar com alguns empreendedores sociais apoiados pela Red Bull Amaphiko que estão fazendo diferença nos lugares onde atuam. Conheça as ideias transformadoras de Tomás Abrahão, Camila Carvalho e Christian Engelmann. 

RAIZS

12974377_712648375505343_8411159589618327993_n

(Reprodução)

Incomodado cultura individualista de São Paulo e a exploração das grandes empresas de alimentos, o ex-professor de História Tomás Abrahão decidiu fazer o meio campo entre os pequenos produtores agrícolas nos arredores do estado e os consumidores finais na cidade grande. “Queremos aproximar o agricultor do consumidor e através da alimentação orgânica criar uma conscientização social. Quem está por trás do que você come? De onde vem? Quem faz seu alimento?”.

No site do Raizs é possível conhecer a história das famílias agrícolas por trás do alimento, comprar antes mesmo da colheita e garantir um produto 100% orgânico em menos de 24h para entrega. “Assim não existe desperdício”, afirma Tomás.

Encomenda entregue (Reprodução)

Encomenda entregue (Reprodução)

 

TEM AÇÚCAR?

(Reprodução)

(Reprodução)

A Camila de Moraes quer retomar a ideia de solidariedade entre vizinhos. O “Tem Açúcar?”, baseado na gift economy¸é um site (em breve será um app) onde pessoas se cadastram para oferecer e pedir algo emprestado. Sem dinheiro envolvido e sem necessariamente troca simultânea, ela acredita criar um senso de comunidade.

“A ideia é fazer o pedido de algo emprestado tão fácil, atraente e divertido quanto comprar alguma coisa”, explica. Original do Rio de Janeiro e com milhares de usuários por lá, o serviço pode ser utilizado em qualquer lugar do Brasil. Mesmo que ninguém no seu bairro, por exemplo, ainda participe, você pode começar convidado pessoas a entrar nessa cultura colaborativa.

Camila fala sobre a cultura do compartilhamento no São João Cultural da Casa Grande.

Camila fala sobre a cultura do compartilhamento no São João Cultural da Casa Grande. (Foto: Alana Maria)

 

REVERSE

(Reprodução)

(Reprodução)

Se juntássemos todo o lixo que produzimos ao longo de um ano, a estimativa beira os 390kg de resíduos. Isso mesmo, quase 400kg por pessoa! Agora imagine o montante produzido por uma cidade inteira, um estado, uma nação. Desesperador, não? O que fazer com tanto lixo?

Iniciativa de Christian Engelmann em parceria com Jeison Cechella, a Reverse é um serviço de desenvolvimento de soluções para resíduos sólidos. A plataforma serve como uma gestão compartilhada dos resíduos, onde consumidores, comerciantes e empresas de coleta estão em atividade para dar a destinação correta ao lixo. Sejam pontos ecológicos de descarte de recicláveis, gerenciamento da cadeia logística ou portal de transparência para municípios e cidadãos acompanharem em tempo real como os projetos estão andando.

 

 


Foto de destaque: Alana Maria

Sugestões de Leitura